sexta-feira, novembro 17, 2006

Estamos com mais de 180 páginas desenhadas. Vai ser um livrão - no sentido macroscópico, claro.

Mais um dia, mais uma página.



Nulla dies sine linea.

O provérbio referido, nulla dies sine linea (“nem um dia sem uma linha”) tem origem em Plínio. Mas não se refere à escrita. Refere-se ao desenho. Refere-se ao pintor ateniense Apeles, que nos ensinou que a Verdade se pinta nua.

Peguei aqui, ó:

http://abrupto.blogspot.com/2005_12_01_abrupto_archive.html

3 Comments:

Blogger Edge said...

o rapazinho tem cara de ajudante de pastor da igreja universal :)

12:35 AM  
Anonymous Michel said...

aposto que vai ter uma página colorida estilo mangá :D

6:36 AM  
Blogger Hemeterio said...

Edge; nada mais falso. na verdade ele é um psicopata que gosta de estraçalahar suas vítimas ao som de Chiquinha Gonzaga. Daí a conversa com o velhote, que antigamente matava gente ao som de Mozart.

Michel; que nada vai ser tudo em p&b puro. Nem a capa será colorida, queria fazer em preto branco e vermelho.

O proximo projeto também, to apaixonado pelo p&b. No futuro, quem sabe?

6:54 AM  

Postar um comentário

<< Home