segunda-feira, dezembro 04, 2006

Acaba, babaca!

A revista piauí de novembro tem uma reportagem divertidíssima sobre palíndromos. Inspirado no texto, e sem nenhuma técnica aparente ou patenteada, inventei de fazer umas frases e ora vejam só, acabei bolando mais de quarenta deles!

Quer uma placa de bronze por isso?

Não, não, obrigado, mas aceito a referência, se for citado por aí. Depois procurei no Google e um dos que bolei já havia sido inventado por alguém, justamente: Oi, rato otário!

Muito provavelmente. Afinal, o alfabeto é finito.

O que sobrou me parece original. Amanhã vou publicar o restante, ok?

------------------------------------------

A respeito das vaidades humanas:
A vida da diva.

Sobre as imponderabilidades do trânsito:
Adia a ida.

Acidentes geográficos também merecem instrução e cuidados médicos:
Orós, o açude, educa o soro.

As delícias e as urgências da senilidade:
Acuda, caduca.

A promiscuidade letárgica dos caninos:
A leda cadela.

Atrasos comprometem a peça:
Adia a Aída.

Um ruminante diligente:
A vaca cava.

Os perigos do vulcanismo sem controle:
A lava cava lá.

Afastando um insistente e melífulo namorado:
Sai, rola calorias!

Filosofando sobre a política:
OTAN até é Tânato.

Merda acontece:
O coco no cocô.

Roteiro perdido de Lost:
Zed lota o atol dez.

Sobre o departamento de design da Volks:
Logo do Gol.

Das preces sincréticas que afastam maus olhados:
Oxalá, Alá. Xô!

O que um gato diria?
Oi, rato otário!

Tudo passa:
Acaba babaca!

Um sonho realizado:
A Lima casa Camila

Das preferências sexuais de cada um:
O cu oleoso é louco!

Sobre o nada e o nada a ver:
Oi, balofo! Meada é mofo lábio?

A coroa dá um caldo:
Ágil, a dona Dano dá liga.

De novo, néscios na política:
Oi, Renato! OTAN é Rio?

Os ofidiologistas e suas manhas:
A naja e a Jana.

Perigos do turismo sem guia:
Ai, latido! Totó d´Itália!

A fé urge:
Agora há roga.

Conseqüências de uma noitada no bacanal:
A gota na toga.

8 Comments:

Blogger Edge said...

sinceramente, vindo de voce, nao me impressiona.
Pra quem ja viu tu desenhar o titanic a partir dos numeros "1,2,3" isso é moleza :)

10:39 AM  
Blogger Hemeterio said...

Re re re tu ainda lembra disso? Gostei dessa marmota de palíndromos. Achei meu passatempo ideal, e olha que já tentei palavras cruzadas e até - vergonha - o sodoku!

1:23 PM  
Blogger Zarastruta said...

Hemé,

Como disse o Edge, isto vindo de um autista não é de se estranhar. Mas de qualquer maneira isto é do caralho! Muito bom mesmo. Vendo, não consegui ficar sem me impressionar.

9:02 AM  
Anonymous Jefferson Alexandrino said...

RauL Seixas tem uma música que diz: "Luar é meu nome aos avessos, não tem fim nem começo"

'Luar de Raul'

E o famoso...
"Ssocorram-me, subi no ônibus em marrocos"

Falando em ônibus, "Ônibus é tão coletivo que já vem no plural"

1:08 PM  
Blogger Hemeterio said...

Z;

Thanks, ó grande Z! E amanhã - e depois, - tem mais!

J;

Jefferson! Há quanto tempo, rapá! Brigado pela visita a esse humilde covil!

2:32 PM  
Blogger Edge said...

cada doido com a sua mania. nao sei se tu sabe, mas o Chico Buarque sempre faz com que as frases tenham um numero par de silabas. tem uma entrevista dele com o jo soares dele classica (o Jo sabia e ficou curtindo e falando "É", "isso" etc).

faz um post so com palindromos e ganhe fama mundial instantanea:)

6:17 PM  
Anonymous Quinho said...

Dizem seus biógrafos, que nosso amigo Muta certa vez passou 30 dias dentro de uma lata em busca do palíndromo perfeito. Saiu-se com: Muta é atum.

5:07 AM  
Blogger Hemeterio said...

Edge!

Já tenho planos! Um livro com palíndromos ilustrados! pelo que sei, é uma idéia inédita! Pisc! Aguardai, aguardai, tem muita coisa na fila, felizmente.

Quinho!

É sempre um prazer inenarrável falar contigo! Pois é, o Muta parace ser muito saboroso acompanhado de queijo ralado, massa fina e xingu, rerere.

1:06 PM  

Postar um comentário

<< Home