sexta-feira, março 09, 2007

Recebi meu passaporte ontem. Tou planejando uma viagenzinha no fim do ano pra Gotham City, portanto, caprichei na foto pra não passar vergonha na hora de liberarem o visto. Que acham, tenho chances de entrar numa boa?


Tagarelice

A palavra, sempre a palavra. Desde os primeiros balbucios do bebê, até o mudo epitáfio na lápide, cada indivíduo matraqueia sem parar. Os humanos editam antologias de pensamentos, fazem compêndios de palestras, alugam carros com auto-falantes, discursam em praça pública, discutem aos berros altas horas da madrugada, cochicham no cinema e pra piorar; qualquer palrador que acha saber combinar corretamente substantivos, sujeitos e verbos tem um blog.

Já que é impossível ir contra a maré, organizei uma listinha das primeiras palavras proferidas após o sujeito abotoar o paletó. Manjem o contexto: o cara morre, aí imediatamente acorda no além. Daí sua surpresa ou interjeição é registrada por meios mediúnicos, aqui num aparelho que tenho em casa. Não, não estou vendendo a tralha. Divirtam-se.


"...atire!" - Chico Mendes.

"Luz?" - Ray Charles.

"Que frio!" - Saddam Hussein.

"Mohamed?" - João Paulo II.

"Agora chega, né?" - Chico Xavier.

"Por favor, onde fica a biblioteca?" - Jorge Luís Borges.

"Eu já sabia!" - Galvão Bueno.

"O Paul vai me matar!" - John Lennon.

"Saudades da Senhora." - Irmã Lúcia.

"Oh, vocês cinco por aqui?" - Jack, o estripador.

"Acho que quebrei uma unha." - Diana Spencer.

"Nunca mais!" - Edgar Allan Poe.

"Tanto barulho por nada." - Mick Jagger.

"Ei, isso não deveria estar acontecendo!" - Duncan McCloud.

"A preguiça passou." - Macunaíma.

"As acomodações são péssimas!" - Ramsés II.

"...seu filho da puta! - Júlio César.

"Parece lá em casa." - Ben-Gurion.

"Caralho!" - Dercy Gonçalves.

"Ninguém pra me receber?" - Napoleão Bonaparte.

"Onde está o mâitre?" - Maria Antonieta.

"Sabe com quem está falando?" - Augusto Pinochet.

"Foi uma bela piada, Senhor!" - Groucho Marx.

"Deveria ter blindado minha carruagem" - Francisco Ferdinando.

"Jackie? Cadê você?" - John Kennedy.

"Papai é foda." - Marvin Gaye.

"Pelo menos não me cortaram o pinto" - Victor Jara.

"Acho que já vou andando." - Franklin Roosevelt.

"Seu Pedro, tem campinho aqui?" - Garrincha.

"Não engulo essa!" - Linda Lovelace.

"Mamãe, é você?" - Sigmund Freud.

"Alô, tem alguém aí?" - Graham Bell.

"De repente ficou tudo tão escuro..." - Joana D´Arc.

"Vai ser pé-frio assim..." - Gonçalves Dias.

"Estranho, nem dói mais." - Negrinho do Pastoreio.

"Como estão as coisas na minha ausência?" - Pablo Picasso.

"Fudeu." - Adolf Hitler.

"É..." - Millôr Fernandes.

"Cara, cadê meu carro?" - Ayrton Senna.

"Achei que o Senhor era mais alto" - Abraão.

"Desculpa a demora." - Matusalém.

"Agora vá tomar no cu, Senhor!" - Jó.

"Pô, pai! Eu tinha mesmo que ir embora?" - Jesus de Nazaré.

4 Comments:

Blogger Edge said...

(gulp) então, é verdade!?!? - Nieztzche

1:25 AM  
Anonymous Anônimo said...

Ei H, não vá!!

Vc está com a cara do maior vilão dos USA - o Brutus, do popeye!

Não sei se será devidamente recepcionado...

Att

Clever

7:43 PM  
Blogger Zarastruta said...

Oi Hemé,

Você agora está na lista negra. Já viu o 300 do Frank Miller. Veja minha resenha no blog.

10:38 PM  
Blogger Hemeterio said...

Edge; pense no susto! Deus diria pra ele: e agora, quem está morto, panaca? Re re re.

Clever; bem notado. e mais: tal qual o Brutus, também sou fissurado numa maguinha!

Z; ainda não vi, só estréia nessas plagas tépidas dia 30 de março. Vou passar no teu bloge agora.

5:25 AM  

Postar um comentário

<< Home