quarta-feira, abril 18, 2007

Uma visão pragmática



Vocês sabem qual a diferença entre um artista e um artesão?

Não? Nem eu, mas tenho algumas diretrizes. O artista, teoricamente, produz artefatos inúteis, como peças de decoração ou imagens conceituais na forma de quadros e esculturas. Já o artesão, confecciona objetos que podem ser utensílios de uso cotidiano, como potes, bonecas, pratos, talheres e samburás. Na verdade, quem dá a distinção entre um e outro é o público comprador. Estranhamente, dá-se mais valor à arte pela arte ( pura baboseira! ) do que à arte como manufatura.

Esse conceito, como eloqüêntemente coloquei, é uma bobagem. Enterre um simples garfo de cozinha da Tramontina por mil anos e depois de redescoberto, ele será exibido no Museu Britânico. O Picasso criava pratos de cozinha em sua olaria particular, e depois de pintados e postos no forno, eram notáveis peças artísticas e também, curiosos utensílios de cozinha. Ele dizia assim: faço pratos para comer. Algum dia criarei uma resposta assim ambígua e definitiva.

Todo esse papo é pra falar sobre aranhas. Eu adoro aranhas. Pequenas aranhas. Não me enviem pelo correio tarântulas de 25cm, por favor.

O mesmo respeito e admiração que eu tenho pelas aranhas, devoto em ódio e desprezo pelas formigas. Por razões muito simples. As formigas são escravas, meros robôs a serviço de uma déspota opressiva. São como funcionários de uma grande e impessoal corporação, com milhões de servos dóceis e imbecilizados, ou como moradores de certas republiquetas que a gente conhece, que seguem cegamente as ordens do ditador de plantão. As formigas merecem mesmo a fome de todos os tamanduás do mundo.

Já as aranhas, trabalham isoladas e solitárias. Vivem para si e para sua eventual prole, sem ter que pagar tributos a um valentão da hora. As aranhas são como trabalhadores freelancers ou autônomos ( ao contrário da formigas que são autômatos ). Mais corretamente, as aranhas são como honrados pescadores, que lançam sua rede ao mar na esperança de fisgar o almoço. A aranha é a livre iniciativa.

Também simpatizo com as aranhas pelas extraordinárias coincidências entre nossas profissões. No caso, uma predadora furtiva e um arremedo de desenhista.

Ambos, como já disse, têm que deixar sua lojinha aberta esperando o otário, digo, o que a sorte e o acaso trouxerem. Se meu telefone não toca, eu também não tenho como pagar as contas. Além disso, literalmente, uma aranha vive do que tece, no caso, de sua arte. No fim das contas, a teia é uma bela e intrincada peça de geometria abstrata. Para olhos incautos, parece ser uma mera peça de decoração, mas na verdade, é um utensílio prático e um meio extremamente útil de se conseguir um jantar. Meus desenhos também. Ahá! Confluência!

Se uma aranha assumisse o corpo de um jovem e faminto artista, e passasse a criar obras modernistas muito loucas, no formato de teias, algum desavisado poderia passar e dizer: que bela obra de arte! E a aranha humanizada poderia dizer simplesmente: faço essas teias para comer.

----------------------

Coerentemente com minha visão do mundo, crio três aranhas no banheiro social lá de casa. E como não poderia deixar de ser, as alimento com formigas.

Dou um pisão fraco numa formiga qualquer, que não chega a matá-la, mas deixa a coitada severamente danificada. Pego com delicadeza o miserável inseto e jogo na teia da aranha de minha preferência. Vamos chamá-la de Charlotte. Atraída pelas vibrações da teia, Charlotte avança e envolve a formiga idiota num pacote de seda parecido com uma marmita. Um belo jantar está servido!

Filmei um desses repastos semana passada, que tal?

8 Comments:

Blogger superedge said...

olha ai..voyerismo aracnideo:) nas escuras e brechando com lanterna.

Que bicho melhor se compararia com um globetrotter?

6:38 PM  
Blogger Hemeterio said...

Edge... acho que um dente-de-leao. Nao por acaso, o simbolo do Cosmos, do dr. Sagam. O dente-de-leao tambem é o simbolo da Larousse, a famosa enciclopédia. O voo da semente representa o conhecimento sendo semeado pelo mundo.

7:01 PM  
Anonymous Anônimo said...

E "Charlote" é referência àquele desenho da aranha que ajudava um pônei (ou porquinho, não lembro), sabia escrever e era profissional de marketing? Rs

Abs, H!

Clever

5:37 AM  
Blogger Hemeterio said...

Clever, é isso mesmo. não vi o filme novo, mas vi o desenho animado nos anos 70, e morri de chorar.

4:16 PM  
Anonymous Quinho said...

Taí, eu nunca entendi esse negócio de embrulhar a comida para comer. Pra mim parece o mesmo que se vestir para fazer sexo.

7:44 AM  
Blogger Zarastruta said...

Quinho,

Na verdade, aranha não come a presa, chupa o sangue.

Hemé,

Qualquer outro que gravasse isto chamaria de psicopata. Sei que você fez por curiosidade científica. Coloquei até comentárion lá no Youtube.

8:34 PM  
Blogger Manoel Camilo said...

Hemetério, seus comentários são insuperáveis!
Achei legal sua admiração por aranhas...elas são bastante espertas ao preferirem buffet. Jantares "a la carte" estão muito caros!
Um saudoso abraço
Camilo

6:40 PM  
Blogger Hemeterio said...

Camilo, bom falar contigo, rapá! Obrigado pela visita e volte sempre. Felicidades na nova cidade! :-)

6:59 PM  

Postar um comentário

<< Home