quarta-feira, maio 09, 2007

De pé, ó vítimas da fome!



O gongo bateu na lateral da locomotiva e nenhum passageiro arriscou um pio. Aparentemente, a tentativa de transformar um trem de vinte e sete vagões no maior instrumento musical da História falhara miseravelmente. Para não verem envergonhado o maquinista Anton Pavlovitch, que planejara tudo com tanto cuidado, os passageiros bolaram algo para erguer sua moral. Saltaram dos vagões entoando a Internacional Socialista, ao mesmo tempo em que imitavam a coreografia de Vladímirovitch, o urso do Circo de Moscou. O velho maquinista comoveu-se às lagrimas.

Mas o Celerado das Estepes, como era carinhosamente chamado por seus detratores, não desistia nunca. Inventivo, usava suas horas de folga na Subsiberiana para trabalhar na melhoria de vida do povo. Certa feita, sensível aos problemas que os mujiques tinham para arar o solo congelado - que naquela época do ano chegava à cálida temperatura de 1 Kelvin -, resolveu dar uma forcinha aos seus camaradas.

Forjou um gigantesco arado com uma liga de estanho e maionese, e o amarrou com correntes à sua fiel locomotiva. A idéia era que conforme a composição avançasse, as terras seriam aradas ao longo da ferrovia, poupando horas de trabalho aos camponeses. Na primeira viagem, o arado desenterrou vinte fósseis de mamutes, rompeu oito tubulações de gás, resolveu os problemas de fronteira entre cinco vilarejos, separou três gêmeos siameses e perto do Baikal, pescou um celacanto de oitocentos quilos.

A próxima aventura de Anton Pavlovitch será tentar o recorde nacional de velocidade num trem a vapor, cuja marca anterior também é dele. Perfeccionista, a antiga conquista deveu-se a um acidente, já que dormitara no posto quando descia os Urais. Curiosamente, essa viagem também detêm o recorde de enfartes em trens russos, mas isso é outra história. Para a nova tentativa, escolheu um trecho da ferrovia com forte declive, decidindo substituir a lenha da fornalha por bananas de dinamite. Será que ele vai conseguir? Sinto que ainda ouviremos falar muito de Anton Pavlovitch!

4 Comments:

Blogger Edge said...

o texto está muito bom, mas por alguma razao que lembrei mesmo foi do 'gong show'. lembra disso? :) no show de calouros do SS

3:18 AM  
Blogger Hemeterio said...

Justamente, um dos sonhos do Homer era participr do Gong Show fazendo alguma marmota. E segundo a Marge, ele fez isso em 1974, junro com o Barney, rerere

4:29 AM  
Anonymous Roberto said...

Algum dia o Genésio ressussitará? Ou será só no terceiro ano? :)

3:13 PM  
Blogger Hemeterio said...

Diz, Roberto!

O Genésio faz parte de um projetão a longo prazo. Tipo, se algum editor comprar as tiras e topar publicá-las, eu continuo a saga. Se não, ficam aquelas como pedra fundamental.

Gostei da idéia do Genésio, devo admitir, mas não tenho saco nem tempo pra fazer só pelo prazer. "Me like to get money".

Porra, leitores como você é que me fazem ver que eu deveria tocar as tiras, mas que preguiça... bom, fica a dica pra quem quiser investir na Oiretemeh Inc!

3:37 PM  

Postar um comentário

<< Home