quarta-feira, julho 11, 2007

Otimizando a área


Povo, resolvi requentar um texto que já saiu aqui no blog, pra poder participar do concurso mensal da revista piauí. Caso alguém queira participar também, a decisão de avançar ou não é de cada um, ok? Vai que vocês ficam irremediavelmente influenciados pelo meu texto, aí já viu, né? O prazo do concurso é até o dia 20 de cada mês. Detalhes no site da revista.

Mind Games

Cheguei ao mosteiro percorrendo a N1, a única estrada do Nepal. A construção há muito que já podia ser avistada, ladeada pelos altíssimos cumes do Himalaia. Desci da minha lhama (?) bem em frente à longa escadaria do mosteiro, e percebi que a busca estava chegando ao fim. Se tudo desse certo, dali a poucos instantes eu estaria diante do meu guia espiritual: o onanipotente guru Cubaca.

Vim a saber do guru passeando por sites de acompanhantes de Piripiri. Estava perdido, e andava em busca de luz e graça. Luz del Fuego e Maria da Graça, duas das mais solicitadas cortesãs da cidade. Foi quando vi o banner do mestre. Minha vida mudou. O sorriso franco, levemente deslocado para o lado, o olhar profundo e seu bigodinho ralo transmitiam tanta força e confiança que resolvi deixar tudo para trás. Nada me demoveu da idéia, nem o fato que o mestre era a cara do Wilson Grey. Antes que desse por mim, transferi toda minha grana para a conta do mosteiro e empreendi a jornada final, para estar com ele e seus seguidores.

Apertei a campainha que soou como uma buzina de nevoeiro. Ouvi uns passos cambaleantes e após um rangido de ferrolhos, a porta se abriu. Sim, era o mestre que me recebia, reconheci imediatamente sua fisionomia, se bem que estranhei seus trajes. O Mestre vestia uma camisa do Madureira e um bermudão surrado da O.P. Nos pés, chinelas havaianas, cada uma de uma cor. Ele me recebeu amistosamente: - Que é? Atabalhoadamente, disse o propósito da minha visita, e que respondera ao seu chamado. O mestre ficou em silêncio e depois de uma cusparada, falou: - Entra.

A decoração do mosteiro emanava paz. Parecia um cabaré de Las Vegas. Entendi que se tratava de uma alegoria sobre as tentações terrenas, e até mesmo a stripper que saltou no meu colo fazia parte da encenação, aposto. Enquanto caminhávamos, ele agradeceu meu sacrifício e falou que tinha um lugarzinho pra mim, onde eu me sentiria muito bem. Inspirado, lembrei da minha antiga vida, e eu lhe falei de um lugar onde nos sentiríamos no deserto. Sua gratidão me confortou. Partimos em silêncio para aquele que seria meu novo posto: crupiê no mosteiro do guru.

Comecei meu caminho para a iluminação naquela noite mesmo. Enquanto trabalhava, analisava as almas atormentadas que recebiam minhas cartas e vi o quão sortudo eu era. Oh, o vasto rosário humano que desfilava em minha frente. Cheio de júblio, resolvi me desfazer de minhas últimas posses, e num ímpeto, quis jogar a carteira pela janela. Foi aí que reconheci a sabedoria do guru: aquela stripper no começo da história - sem dúvida a mando do mestre -; havia levado minha carteira, antecipando meus sentimentos. Comovido às lagrimas, pensei: que dádiva estar entre pessoas tão sábias!

4 Comments:

Blogger Tarso Bessa said...

Hemet, a tirinha tá muito massa.

[]'s

4:52 AM  
Blogger Zarastruta said...

Hemé,

Eu vi a página do concurso. Quer uma dica, apareça com um título começado com a letra "A": A new mind game (por exemplo). Daqui que o leitor chegue na letra "M" ele já votou. Quando as palavras chaves forem mais legais eu entro no concurso.

7:08 PM  
Anonymous th. said...

Verdade, a tira está fantástica.
O texto também ficou muito bom. Acompanho o concurso da piauí. Não li nada do restante do pessoal mas esse seu parece estar bem no páreo. Vou ver se escrevo o meu ainda.

9:42 PM  
Blogger Hemeterio said...

Tarso,

Legal, né? O que importa é o texto, dane-se o desenho!

Z;

Nada a ver. Bom jogador não escolhe campo nem adversário. Quero ver tu disputar a segundona da piauí, enfrentando campo ruim e bola murcha.

Escreva um rapaz, tu vai arrebentar!

No mais, não é votação. Eles lá é que escolhem. E não adianta organizar o titulo do post por letra, pois o que vale é o nome do autor. As pessoas só leriam o meu antes se eu me chamasse Aarão Adolpho.

Th,

Espero que eles gostem. A piaui pra ser completa só precisava de mulé pelada, pra virar uma playboy com cerebro.

1:42 PM  

Postar um comentário

<< Home