quarta-feira, agosto 22, 2007

Spiderpig


Mais uma página da cartilha sobre poluição hídrica. Pensando aqui cá comigo, já devo ter feito mais de 12.000 desenhos, em 21 anos de carreira. Ufa. E ainda é pouco. How long, must we sing this song?


Nikki laudas de papel

Sou idolatarado pelas minhas fãs, venériado pela minha mãe e respleitado por todos aqueles que votaram em mim. Mais ainda: sinto-me abensuado pelo calor do dia, refrescaldo pela sopa do jantar e acolchegado pelas cobertas da cama. Aos meus companheiros de trilha, meus compatrilhotas, meu muito obrigado. Àqueles que poliram meu caráter, aquele abrasso. Parto com o coração dividido em quatro, sozinho, mutilhado de solidão.

Católico convicto, considero que o melhor do clero está em sua santidade, o papa, o maior dos esclerosados! Não precisam aplaudir, meus amigos correligiosos! Tudo o que fiz foi proteger a Igreja de uma enorme racha! Lembro de uma expedição que fiz à região mais velha do planeta, cuja paisagem seria familiar aos dinossauros: o platô andino. Lá, encheu-me de nojo os vulcões que expeliam toneladas de larvas! Somente minha fé no santo protetor do Equador livrou-me a cara: São Jesus Quito.

Nem quero lembrar quando fui mordido por uma baleia, uma verdadeira orcada dentária. Graças a Deus que não tenho um sistema imundológico, muito pelo contrário. Mas falemos de coisas fálicas! Fiz o que muita gente gostaria de fazer: desfiliei na Comichão de Frente da Mocidade! Comi o bauru de Bauru, o hambúrguer de Hamburgo e a pizza da piazza de Pisa. Sorvi o aroma de Boston, a fragrância de Mérida e odor de Chicago. E não poderia deixar de mencionar que também já bebi o chá do Chade, a água de Hidrolândia, o mel de Melbourne e o licor que escorre da Cuenca. Em sumo, sou um sujeito gástrico.

Mas amigos, não quero tomar vosso templo. Adeus! Adeus verdes bares navios de minha serra! Adeus para num cânhamo mais voltar. Minha alma chora, e diz que vai embora, ô, diz que vai embora. Fiquem com as sábias parlavras, ditas em voz alta, de meu primo Anastácio Duradouro: - Se a vida só lhes deu limões, façam um motor de polpa. Adeus!