segunda-feira, setembro 17, 2007

Uma caricatura que a esposa desse cara encomendou, para o aniversário dele. Espero que o efeito seja positivo: que ele não fique puto nem nada e a noite transcorra entre suaves gargalhadas. Acho que há de gostar, afinal, peguei leve - não coloquei suas verrugas, nem o tapa olho nem a cicartiz na testa em forma de anzol.



SAC do gênio*
Depois de sacanear o milésimo cliente, o gênio desaparece numa nuvem de fumaça, deixando desolado seu último amo. Os pedidos que fizera eram simples, triviais. Primeiro, ele queria trinta mulheres das mais lindas e tesudas. Moleza, ali estavam elas. Animado, ele pede ao gênio um caralho de 40cm para substituir a trouxinha que carrega consigo. O gênio, meio mouco, entende um baralho de 40cm e imediatamente faz aparecer ao seu lado, um enorme aparelho de carteado. Puto com o erro do gênio, ele resolve apelar pro linguajar chulo e diz que não era nada disso, gênio burro, eu queria que meu pau arrastasse no chão! Ai o gênio corta as pernas dele.
Então ficamos assim: o sujeito tem sob sua guarda trinta mulheres faladeiras, que não param de gastar no seu cartão de crédito. Além disso, possui um baralho gigante, que se não fosse a raiva que sentia, até acharia engraçado. Pena que eu não moro em Itu, ia fazer o maior sucesso por lá. Mas o pior foi ter ficado sem as penas. Pensando na vida, ele olha novamente para a lâmpada, possesso de raiva. Quando já ia arremessar a tranqueira no mar - como fizeram seus infelizes antecessores -, ele percebe que no fundo da peça há um número de telefone.
Ainda bem que estão escritos em algarismos arábicos, dei sorte - pensou nosso amigo. São mais de vinte dígitos, que ele tecla cuidadosamente em seu celular, tendo o cuidado de se afastar da algazarra do mulherio. Em instantes, uma voz com forte sotaque turco dá as boas vindas e informa as opções disponíveis. Para reportar a presença de djins e efrites, tecle 1. Para receber uma saudação e uma prece do nosso califa e senhor dos povos, tecle 2. Para informações sobre nosso produtos, como tapetes mágicos e lâmpadas maravilhosas, tecle 3. Para sair, tecle 4.
Ele aperta a tecla 3 e uma musiquinha em estilo árabe começa a tocar, mas podia ser o jingle do Habib´s, não tinha certeza. Logo, a gravação continua. Para reparos em seu tapete, tecle 1. Para afiar sua cimitarra, tecle 2. Para falar com um de nossos atendentes, tecle 3. Para sair, tecle 4. Ele aperta a tecla 3 e espera mais um bocadinho. Finalmente, uma voz parecida com a do Maluf atende.
- Em que posso estar atendendo, senhor?
- Oi, eu queria fazer uma reclamação.
- Pois não, senhor.
- Achei uma lâmpada maravilhosa e...
- Um momento, senhor, qual o número de série da sua lâmpada?
- Não sei, onde ele está?
- Ao lado do número de telefone.
- Ah, sim, aqui está. Está meio enferrujado...
- Só os primeiros quatro dígitos, senhor.
- Ok, 6638.
- Vou estar verificando, um momento.
(musiquinha)
- Confere, senhor, em que posso estar ajudando?
- Como eu ia dizendo, fui muito mal atendido pelo gênio. O desgraçado ainda cortou minhas pernas! Dá pra imaginar isso?
- Senhor, não fazemos devoluções de pedidos.
- Quer dizer que vou ficar assim pra sempre?
- Pra sempre não, qual sua expectativa de vida?
- Olha aqui rapaz! Eu...
- Um momento, senhor.
(musiquinha)
- Senhor, falei com meu gerente e podemos estar fazendo uma exceção no seu caso.
- Manda.
- Há alguém aí com o senhor?
- Trinta supermodelos seminuas.
- Faça o seguinte, por favor. Jogue a lâmpada fora, depois combine com uma das moças que ache a lâmpada. Assim, ela terá mais três pedidos e poderá consertar o que o gênio fez.
- Puxa, não havia pensado nisso, obrigado.
- Mais alguma coisa, senhor?
- Não, obrigado.
- A All Adin agradece sua ligação, tenha um bom dia.
Outra vez animado com a perspectiva de ter tudo resolvido, nosso herói combina o plano com Maddie, a mais bonita das modelos - e também a mais loura.
- Maddie, escuta aqui. Vou jogar essa lâmpada ali do lado, você roça seu bracinho nela e vai aparecer um gênio. Qual a graça, Maddie?
- Hi hi hi. Você falou roça!
- Eu sei, olha, entendeu? Aí quando o gênio aparecer, você pede duas pernas pra mim, ok?
- Tá!
Maddie faz conforme o combinado. O gênio reaparece, imenso, e pergunta com voz de trovão quais seus pedidos. Nervosa, a modelo só consegue olhar do gênio para o sujeitinho ridículo sentado ao seu lado, e de volta pro gênio. Ela parece confusa e nosso heroi a estimula com um gesto, como quem diz, vai, vai. Nisso, o gênio começa a ficar impaciente. Subitamente, ela parece se lembrar do acordo e exclama a plenos pulmões: - Quero as pernas dele de volta!
Milagre! Tanto ela como o gênio fazem tudo certinho. Saltitante, ele sai pela praia comemorando suas pernas novas. Mas o gênio ainda está por ali, e pergunta qual o próximo pedido. A supermodelo dá de ombros e diz, ah, ele gosta tanto das pernas, que tal dar mais duas pra ele? Nosso herói se vê transfromado num estranho quadrúpede, que de tão estupefato, não tem tempo de impedir o resto do diálogo entre a modelo e o gênio.
- Qual seu último pedido, linda criatura?
- Você parece tão solitário nessa lampadazinha. Sai daí e vem comemorar com a gente.
Assim, o gênio consegue sua liberdade e perde seus poderes, mas conquista um inesperado harém com trinta gatinhas. Descontando séculos e séculos de submissão, o gênio - ou Sebastian Lafond, para os íntimos - revela-se um mandão incorrigível. E nem preciso falar da performance sexual do sujeito, mantida reprimida nos últimos mil anos mas que agora é um salve-se quem puder.
E nosso herói? Bom, agora ele serve de cavalinho para os filhos do Sebastian com as modelos, e nas horas vagas, virou moleque de recados do negão. Ele seria um mensageiro mais eficiente, mas passa o tempo todo procurando objetos brilhantes na areia. Dizem que tem mais de mil latinhas, oito lamparinas, duas maçanetas mas lâmpada mágica que é bom...
*Inspirado numa conversa com a amiga Alyne, dia desses.

1 Comments:

Blogger El hombre maíz said...

O gerundismo do atendente foi genial.

2:11 PM  

Postar um comentário

<< Home