sexta-feira, outubro 19, 2007

Desenho prum conto da revista do BNB, sobre um garoto que perde seu primeiro amor. No caso, um peixinho vermelho chamado Betinho. Chuinf!


Corolário da semana
Eu compro na baixa e vendo na alta - já diria o soteropolitano, que adquire seus peixes na Ribeira e vende na Paralela.
É claro que o Brasil tem conserto. A licitação das obras é que é demorada.
Ao me vir chegando, resista à primeira impressão: não estou contente em lhe ver, é que sofro de priapismo matinal.
Não existe são sem mácula, pão sem fécula, mel sem páprica, fala sem réplica, gel sem Drácula e xana sem minhápica.
Penso, logo existo. Pois é, mas se seus pais pensassem, você não existiria.
Frase? nessa tempão um demorou se você que notou Já
O mal do século XIX era a melancolia. O século XX botou a culpa na melanina.
Você não é o que come, nem o que veste, nem o que fala, nem o que pensa, nem o que ouve, nem o que sabe, nem o que escreve. Você também não pode ser definido pelas suas amizades, pela sua conta bancária, pelo seu berço, pelo seu cheiro, pelo seu cabelo, pela sua nacionalidade, pela sua cor. Muito menos, sua fé não o define, nem tampouco sua generosiadde, seu altruísmo, sua vilania, seu fetiche, sua tara, seu semblante, seu casamento, seu pecado, seu vício, seu partido, sua facção terrorista. Então sobrou o quê? Com toda certeza, sem medo se errar, posso afirmar categoricamente que você é o que seus átomos são.

6 Comments:

Blogger Zarastruta said...

Fiz o dever de casa do desafio do Cara de Milho. Falta uma ilustracao sua :)

3:11 AM  
Anonymous Anônimo said...

Essa é só para registrar minha visita hoje ao seu site...
Acredito piamente na infâmia lenda que contam sobre a origem da famosa frase, dita por Descartes, "cogito, ergo sum", que ficou mais famosa ainda em Portugal e no Brasil como "penso, logo existo". Segundo essa lenda, dizem que quem proferiu pela primeira vez essa citação foi um português, fugido de um asilo em Lisboa. Num dia de lua, foi à praça mais movimentada de Lisboa e gritou (em português, é claro) a seguinte frase: "cogito erguer o sol, penso, logo desisto". Um ainda estudante de latim, francês, um pouco surdo e matemático, com o nome de Descartes, e que naquele momento visitava Lisboa, ouviu apenas o início daquela inusitada frase. Achou então que o mentecapto estava a falar em latim...
O resto se transformou em história...

PS.: existe uma versão portuguesa que diz que o que aconteceu foi que Descartes teria ouvido, em português mesmo, apenas o final da frase...

6:57 AM  
Blogger Zarastruta said...

Obrigado misterioso Anônimo.

10:46 AM  
Anonymous Gustavo (Shanti) said...

Considerações geniais!

Hemeterio, te mandei um e-mail em hemeterio [at] gmail.com; estou confirmando por aqui porque não sei se vc ainda o usa.

Abraços!

1:04 PM  
Blogger Edge said...

esse desenho parece uma foto tirada com large aperture:) depth of field a la caricatura.

7:14 AM  
Blogger Lapa said...

قمة عالمية البرتغا الكاتب cristovao دي اغيار.

وهو ، أيضا ، وترجمت الى اللغة البرتغاليه ثروه الامم من آدم سميث.

وقد منح العديد من الجوائز.

لا تنسوا اسم هذا الكاتب العظيم ، يمكنك الاستماع اليه قريبا.

اشكركم على انفاق الوقت في الثقافة العالمية.

شكرا للزيارة

2:35 PM  

Postar um comentário

<< Home