quarta-feira, outubro 24, 2007

Tropel de Elite
não resisto a um pitaco também
Alguém lembra da música Você Não Soube Me Amar, da Blitz? Cada linha de cada estrofe do mega sucesso de 1982 virou gíria na boca do povo. Garçom, uma cerveja, só tem chopp, desce dois, desce mais, amor pede uma porção de batata-frita? Ok, você venceu, batata-frita. Da mesma forma, nenhuma frase do Tropa é desperdiçada. As falas memoráveis dos personagens correm Brasil afora. São tantas e tão grudentas que mereceriam um site próprio, mas eu gostei particularmente da: missão dada é missão cumprida, pois tenho que engolir sapo de vez em quando e essa fala me ajuda a ir em frente, como um Salmo.
Pô, é isso aí. Cada frase doTropa, recitada e encaixada pelo povo nas mais diversas situações, remete à função dos Salmos. Precisa de uma resposta à altura para seu chefe chato? Tente: tá querendo me fudê, cumpádi? Ou pra quando sua filharada ensaia uma rebelião: quem manda nessa porra sou eu! Ou quem sabe, a frase: pede pra sair, seu meeeerda! dita por todo o estádio de futebol, ajude a ilustrar a situação do técnico burro. E por aí vai.
Fora que o filme é tecnicamente muito bem feito. Tem uma piadinha visual que com certeza, pagará seu ingresso. Ou pelo menos, abaterá os seus quatro paus investidos no DVD.
Na sala da faculdade de direito, o soldado Matias está sentado na frente da classe, apresentando um trabalho. Sua cadeira está voltada para os outros alunos. Nisso, surge uma discussão sobre o papel da polícia num Estado democrático, e detalhe: ninguém na sala sabe que o cara é meganha. Evidentemente os alunos descem o cacete na polícia e o Matias ali, calado. Então o professor aproveita o gancho e escreve no quadro-negro a palavra polícia, e faz uma setinha para explicar uma tese. No ângulo em que a câmera está posicionada - que no fim das contas é o nosso ponto de vista -, a tal setinha aponta exatamente para o soldado.
A piada só faz sentido pra quem vê o filme, ou seja, ninguém na sala poderia desfrutar dessa perspectiva onde o professor entrega, sem querer, a identidade do aluno. Eu achei sensacional. Foi uma sacada típica do cinema, que por ser projetado numa tela, "esmaga" a profundidade de campo. Essa piada não poderia ser feita num teatro, por exemplo, pois as múltiplas visadas de cada espectador na platéia, gerariam pontos de fuga diferentes. Mal comparando, foi como aquela cena do Austin Powers, em que ele circula nu pelo apartamento mas os objetos do cenário, estrategicamente colocados, escondem suas vergonhas.
E como todo fenômeno cultural ( obrigado, Gaudí! ) que se preze, Tropa de Elite também gera uma infinidade de paródias. Desde refilmagens caseiras postas no YouTube, piadas requentadas e até o poster da candidatura do capitão Nascimento ao Senado. São dezenas de sites de humor que de uma forma ou outra, pegam carona no Bonde do Caveirão, inclusive aqui. Qua tal essa minha incursão pela charge?

2 Comments:

Blogger Zarastruta said...

O senhor é um fanfarrão! E graças ao eMule eu consegui ver o filme antes de estrear até no Brasil. Se passar no cine Angelica (o cine de arte daqui) eu vou assistir de novo. Se tivesse uma maneira de eu pagar pelo DVD eu pagaria.

4:28 PM  
Anonymous Suderland (SW) said...

Genial. H.
Bela sacada essa tua do saco... rsrsrs

Assim a pivetada vai acreditar no Papai Noel. ;)

6:23 PM  

Postar um comentário

<< Home