quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Apresentação da cartilha sobre mudanças climáticas, para a FUNCEME. Que talho?



LP-RW

Ninguém duvida que uma das maravilhas tecnológicas de nossa época é a máquina de regravar LPs. Pensem nisso: um processo simples e eficiente para acondicionar num prático disco de vinil suas canções favoritas, vídeos, fotos e texto. Em suma, o melhor que a tecnologia analógica de ponta pode fornecer.

Acoplado à TV, a gravadora converte as imagens que vemos no tubo em delicados sulcos no disco. O processo inverso permite que se vejam as imagens novamente, ou seja, ao passar uma agulha especial nas ranhuras, o vídeo reaparece como que por mágica no tubo catódico. Seu programa de auditório favorito pode ser armazenado em apenas sessenta discos de face dupla, para ser assistido confortavelmente quantas vezes se quiser, não é o máximo?

E tem mais. Os inventores pensaram em tudo. Não necessariamente você tem que comprar contâiners e contâiners de LPs para gravar tudo o que lhe der na telha. Os vinis agora são regraváveis - o tema desse artigo, por sinal. Veja: a nova máquina raspa os sulcos originalmente impressos e acrescenta uma outra camada virgem por cima. Aqueles motoristas que sentem como perfume o cheiro do asfalto novinho sabem do que estou falando.

Depois da raspagem, a simpática bolacha pode ser reimpressa com o que lhe aprouver. Por causa das maravilhas da tecnologia sem fio, praticamente todo o tipo de dado pode ser codificado e decodificado. Suas fotos, por exemplo, podem ser transformadas em sulcos que são lidos como ondas eletromagnéticas. Essas ondas carregam as informações para uma tela que permite rever os desenhos com grande resolução de imagem. Evidentemente o contrário também é possível, fazendo com que uma imagem projetada na TV possa ser impressa no vinil.

O mesmo se dá com o rádio, nosso conhecido há décadas. Agora é possível "capturar" as ondas que viajam pelo éter e eternizá-las a partir de um prático dispositivo portátil. Sim, isso mesmo, portátil! O volume da máquina de gravar LPs não ocupa espaço maior que um carrinho de supermercado. Ele pode ser conduzido facilmente para todos os lugares, fazendo a alegria dos jovens em sintonia com seu tempo.

Nossos cientistas, repito, pensaram e tudo. Uma exclusiva versão da máquina pode ser acondicionada no carro. Isso mesmo, no carro! Ja pensou, ouvir sua coleção favorita de discos em seu próprio automóvel? Livre para ouvir o que quiser, sem estar atrelado ao gosto por vezes obscuro e antiquado das estações de rádio? pois agora é super simples fazer sua playlist e sair por aí com sua turma. O novíssimo modelo para automóveis vêm com molas autoajustáveis que permite uma altíssima fidelidade de reprodução e gravação sem solavancos. A agulha desliza sobre a superfiície do disco, suave como um transatlântico singrando um oceano sem ondas. Nem a menor trepidação, nem o maior dos buracos - e como os há em nossas estradas!- vai atrapalhar seu deleite, seu audiófilo corado!

Lembrando sempre que a máquina permite algo até então impensável: fazer cópias dos seus LPs! Digamos que um seu amigo tenha um raro disco de rock, impossível de ser encontrado novamente e inestimável, pois fora presente de seu tio Hank. Pois bem, agora tudo está mais fácil. É possível comprar uma bolacha virgem nas lojas especializadas, que pode ser usada para regravar o que se queira. Basta colocar o disco original num prato e o regravável num outro, que um dispositivo pantográfico exclusivo copiará trecho por trecho do material, com absoluta integridade lógica. Você não se sente como se o futuro tivesse acabado de aterrissar?

A máquina também vem em incríveis três cores: branco, preto e grafite, em absoluta sintonia com o design da época. Nem nossos carros têm tanta variedade de cores! Por causa de suas linhas atraentes, a máquina pode ocupar um lugar de destaque em sua sala de estar, disputando um local de honra que antes pertencera à TV, pode apostar. Imagine as possibilidades: armazenar as fotos de famlia em simpáticos vinis coloridos, ou reproduzir em qualidade polifônica o discurso de aposentadoria do papai! Não é um privilégio?

Como todo artefato que imprime sua marca numa época, se me perdoam o trocadilho infame, esse também virou um meme cultural. O verbo sulcar, por exemplo, é falado pelos mais jovens como sinônimo de "estar em sintonia". É comum que os jovens, desafiadores como soi, atrevam-se ao repreender seus pais dizendo que eles não estão sulcando nada, ou que aquela nova onda é puro sulco. Até onde vai a imaginação dos nossos jovens, não é mesmo?

Não fique por fora e adquira hoje mesmo um exemplar. Se esse artigo não foi suficiente para atiçar sua curiosidade, que tal se eu lhe dissesse que a empresa está à cata de um nome para o aparelho? As melhores sugestões vão ganhar um suprimento lifetime de bolachas virgens, para gravar até os sons do juízo final! Fica minha sugestão e como se não bastassem as dicas, ainda cometo a ousadia de manifestar o nome pelo qual eu batizaria o aparelho. Como já enviei minha carta, não há mal nenhum em divulgar aqui minha sugestão. Nomeei a geringonça de iPad, que tal? Esse i é de incrível! Acho que vou ter que abrir espaço em minha sala para os milhares de LPs!