quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Cartunzinho básico...





Spots do dia-a-dia


Meu ap está interditado devido a uma pendenga diplomática: as baratas se recusam a sair e ainda não estou autorizado a usar a força. Enquanto isso, estou passando uma temporada na casa da mamãe. Minha irmã sai para trabalhar cedo e tive que tirar meu carro da frente do dela. Assim, do jeito que acordei peguei o elevador.

Cabelo desgrenhado, barrigão de fora, calção puído e ramelas nos olhos. E sono, muito sono. Diga-se de passagem que eu estava pouco me lixando para minha aparência, àquela altura um misto de morsa adormecida com o penteado do Krusty. Cidade pequena é uma merda. Eis que no estacionamento do subsolo topo com uma antiga amiga de colégio. Temos até uma certa intimidade, pois nos vemos mais ou menos uma vez por ano desde 1985. Ela me cumprimenta amistosamente, mas sem dúvida, em suas preces matinais, deve ter pedido proteção para o dia que se iniciava justamente contra aparições daquele tipo.

Retribuo o cumprimento, tendo o cuidado de não encarar o marido dela. Só depois, possuído pelo espírito da escada, é que me toquei que a cena se parecia muito com aqueles pesadelos infantis, onde a gente se descobre nu dentro da sala de aula. Todo mundo já passou por isso, não?

O engraçado do sonho é que a gente começa a se perguntar como diabos pode ter atravessado toda a cidade com a bunda de fora, e só perceber o fato na hora da chamada. Do jeito que eu estava, com o traje mais apropriado para o Piscinão de Ramos do que para o saguão de um prédio pela manhã, sem dúvida deve ter havido um conflito de universos estanques. Bah, mas quem liga?

E que ela se considere sortuda, pois deixou de me ver de toalha. Se eu estivesse no meu ap, sem dúvida teria descido até o estacionamento com minha toalha do Batman (sério, eu tenho uma toalha do Batman). Andar seminu em seus próprios domínios não é afinal, censurável demais, não? No entanto, em respeito às criancinhas e cardíacos, passarei a me comportar pudicamente nas áreas públicas da cidade. Nada de ir de sunga ao banco, nem de ajeitar a cueca no casamento, nem de ir descalço ao shopping, nem de afrouxar o cinto no bandejão da prefeitura. Pudicícia, senhores!



7 Comments:

Blogger Edge said...

se fosse na Dinamarca entretanto seria aceitável ficar pelado no parque.

3:44 PM  
Blogger Zarastruta said...

Eu trabalho no meu escritorio em casa na maior parte do tempo. Sei o que voce esta' falando. Mas vou pegar as cartas (na frente de casa que nao tem muro na frente) de pijama na boa...

5:02 PM  
Blogger Mariana Araújo said...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
pou cara...isso é normal...
impressionante como eu sempre encontro com professores ( e possíveis contratantes futuros) da universidade quando estou em situações constrangedoras...
nem luto mais contra isso...eles sempre aparecem, inclusive qdo tou com uma merda de camilosa mei chumbada e um diabo dum blusão só por cima numa fila de pronto socorro pra resolver mais uma crise de sinusite ou sabe lá deus o que...
no mais...tenho uma toalha do demônio da tazmania...não me envergonho nem um tantim dele, e ai de quem tentar usá-la
rs

7:52 PM  
Blogger Marx said...

Putz...eu também tinha até outro dia uma toalha grandona do Taz...
Hemet...prefiro não imaginar a cena! Vai que depois eu tenho um pesadelo com isso?!!! hehehe

3:08 AM  
Blogger Marx said...

Hemet...o desenho ficou show!!! Tem mensagem subliminar nos pontinhos????

3:11 AM  
Anonymous Klaiton said...

Tenho esse problemas nas segundas, quartas e sextas em que coloco o lixo na rua a noite. É tanta preguiça em sair do apto que vou com o short do pijama e a sem cueca por baixo, ficando tudo mexendo ao andar...

8:28 AM  
Blogger Hemeterio said...

E;
Ah, os escandinavos lascivos! A impressão que eu tenho é que a Suécia, por exemplo, é um filme da Private ao vivo.

Z;
Saudades dos teus escritos, puerra!

Mariana;
Gostei, temos afinidades com toalhas engraçadas. O que mais teremos em comum? Podíamos pegar um cineminha dia desses, que tal? Voce mora em Natal e eu em Fortaleza, a gente podia se encontar em Mossoró, metade do caminho, hein? :-D Chêro!!!

M;
Tem uma mensagem implícita sim. Nos pontinho lê-se: contrate-me Pixar.

K;
Poupe-me de seu problema pendular! No entanto, como sou gente boa, sugiro que você amarre suas coisas com um elástico antes de sair de casa:-)

12:27 PM  

Postar um comentário

<< Home