segunda-feira, julho 21, 2008

Acho que já vi esses caras antes...

http://www.joker-scene.blogspot.com/


O cavalheiro das trevas

A noite estava abafada e escura, como se toda cidade estivesse confinada num enorme forno crematório. A lua aparecia por trás das nuvens difusa e indefinível, parecida com uma dama cuja maquiagem estivesse borrada de tanto choro. As ruas imundas da velha e corrupta cidade ameaçavam tragar seus habitantes, como se o asfalto voltasse a ser piche pegajoso a qualquer momento. Definitivamente, a esperança era um luxo dispendioso e fútil em Gotic City!
Nessa mesma noite, Mary Lust voltava do trabalho no auge da madrugada. Seu turno como garçonete e biscate acabara há pouco na boate Vulva´s e ela caminhava apressada, pois pela manhã, pegaria novamente no batente em seu emprego diurno formal: operadora de caterpillar.
Num beco particularmente escuro, Mary avista uma silhueta que fumava imóvel. Ela aperta contra o peito a bolsa na qual continha a féria do dia, dinheiro esse que ela há muito juntava para as tão sonhadas férias em Gaza. Mary passa rápida pelo estranho e em seguida, sente os pelos do pescoço se eriçarem, pois percebe que o estranho a segue. O desespero toma conta de seu ser, pois ela sabe que numa cidade assim tão viciada, seus gritos de socorro seriam tão inúteis como um protesto formal dos cristãos ao Senado de Roma, contra os maus tratos no Coliseu. Mesmo assim ela grita com toda força, quando o estranho a encurrala num canto da parede.
O bandido mostra um punhal cujo aço cintila sob a débil luz da lua. Mary fecha os olhos, aterrorizada, e o tempo parece se enregelar naquele instante. O silêncio mórbido, que não durara um instante, só é cortado pelo pigarrear cortês de um terceiro vulto, que surgira das sombras: o cavalheiro das trevas!
-Com licença, senhor meliante, posso falar-lhe a sós por um momento? - Disse a elegantíssima figura, enquanto dava toquinhos polidos no ombro do gatuno.
O bandido virou-se por um instante, a tempo de ver que aquele que tão imprudentemente interrompera seus negócios trajava um fraque, cartola e uma bengala de chifre de narval, que se tivesse cultura para tanto, saberia que o adereço valia mais que mil bolsas como aquela que ele tantava roubar da pobre Mary.
- Por certo há de concordar que esse seu mister é inadequado com o nível de civilidade que tentamos impor a essa cidade, não? - Continuou o cavalheiro, enquanto ajustava o monóculo. O bandido ficou sem saber o que fazer, e até mesmo Mary arriscara-se a abrir um olho e ver que estranha figura era aquela. O bandido, recuperando o controle, rapidamente aponta o punhal para o cavalheiro, que reage com elegância: - Eu bem que desconfiava que essa seria sua atitude, meu bom homem, e me vejo forçado a reagir, mas saiba que esse meu ato não implica uma censura direta a sua pessoa e sim, a um estado de coisas que sem dúvida, propiciou sua entrada no mundo do crime. Perdoe-me de antemão.
Dizendo isso, o cavalheiro rapidamente desarma o bandido com um golpe de sua bengala, fazendo com que o punhal crave numa viga, fora do alcance de todos. Desarmado, o bandido investe contra o intruso, mas esse esquiva-se com agilidade. - Meu rapaz, o confonto físico deixou de ser argumento desde que nós entabulamos o alfabeto e a escrita. Não poderíamos discutir a situação como cavalheiros? O bandido, que caíra desajeitadamente ao errar o golpe, levanta-se esbaforido e corre viela adentro, sem olhar pra trás.
Mary ainda não acredita no que aconteceu, e como estivesse em frangalhos emocionalmente, cai de joelhos sendo amparada educadamente pelo cavalheiro de preto. - Minha cara, espero que esse incidente não a faça perder as esperanças num melhor porvir. Quero que saiba que essa cidade ainda comporta homens de bem. Boa noite.
Dizendo isso, o cavalheiro faz uma mesura com sua cartola e desaparece nas sombras, tão calmamente como viera. Mary não acredita na sorte que teve e corre em desabalada carreira para o ponto de ônibus mais próximo, a salvo.
No dia seguinte, ela soube que o comissário de polícia estava acobertando as incursões do cavalheiro, e que mandara instalar no topo da chefatura de polícia um holofote com o dístico do - literalmente - vigilante dos bons costumes. O jornal reproduzia uma imagem do logotipo, que Mary achou parecidíssimo com o rótulo do azeite Lord. Cada louco que aparece nessa cidade!

9 Comments:

Blogger Zarastruta said...

Heme',

Vi o filme no domingo em Las Vegas com a esposa. O Joker estava demais, um grande contrapeso se comparado com aquele inexpressivo Batman com boca de suvela. Gostei muito do filme e ainda de quebra aproveitei a visita a Las Vegas para ver o musical Mama Mia no teatro. Agora fiquei curioso para ver a versao do Mama Mia para o cinema. Que comentario esquisito este meu,parece mais um post :)

8:41 AM  
Blogger Hemeterio said...

Que nada, Z, aqui você é igual ao STF: manda soltar e manda soltar. O Joker de Ledger é um marco. Puerra, esses são os perigos da automedicação, que pena, que falta vai fazer esse doido!

9:03 AM  
Blogger th. said...

Âinha, caramba, não li a parada com medo de ter spoiler.

1:56 PM  
Blogger Omaso said...

Este comentário foi removido pelo autor.

2:05 PM  
Anonymous Makelli Jucá said...

-Muito cuidado com a invasão. De acordo com a denúncia anônima, nossos alvos estão pintados de palhaços.

- Cuidado!!! Engano!!! Os reféns estão pintados de palhaços. Nossos alvos estão disfarçados de fãs de Batman e tem um disfarçado de escritor (colocou até um texto pra enganar)!!

hihihihi...brincadeirinha maninho :)

textinho logo danado ... :)

2:08 PM  
Blogger Hemeterio said...

Th, mete bronca, tem spoiler não.

Makelli, nos,a horda, vai dominar o mundo. esperai. sinto o cheiro de 14 de junho de 1789...

4:26 PM  
Blogger Edge said...

ainda nao vi, mas pela nota 9.7 no IMDB é o melhor filme de todos os tempos.
Talvez nao seja, mas creio que a diversao é garantida.
Será que o Ledger levará esse oscar depois de morto?

7:56 PM  
Blogger Hemeterio said...

Edge, o que vai acontecer, eu prevejo, é que o Ledger vai ser indicado, mas não ganha, infelizmente. Aliás, to achando tambem que o TDK vai levar 6 indicações: ator coadjuvante, fotografia, efeitos, roteiro original, direcao e.... melhor filme!!

3:55 AM  
Blogger th. said...

Ow, o cara à esquerda na foto tem 3 metros e 15 ou o quê? Égua...

E tem um maluco ali com o 'Ensaio... cegueira'. Ô livrozinho quente. E tá na hora de ele ser logo lido mesmo. Senão o filme vem e estraga o livre-imaginar. Faltam-me 20 páginas.

Quanto ao 'Cavalheiro...', fenomenal. És um fela, hemetério.

12:30 PM  

Postar um comentário

<< Home