quarta-feira, novembro 12, 2008

REMiniscências

Voltei ileso, ou quase: tô de coração partido. A viagem foi espetacular e deixar a velha Piratininga dos jesuítas foi uma decisão tomada à força. Basicamente, só não continuei lá por todo o sempre porque o Formule 1 da Nove de Julho não virou, ainda, um albergue do Exército da Salvação. Cidade boa, puxa vida, não é à toa que a cearensesada toda um dia descamba pra lá, é como se São Paulo tivesse um grande atrator de cabeças-chata, que projetasse hologramas de rapadura e farinha em pleno altiplano da Serra do Mar. Mas divago. Vejam aí algumas fotos da viagem, com legenda.



Sábado, entrada do Via Funchal para a retirada dos ingressos. No painel, também anunciavam um show do Queen (??) e do Nightwish, seja lá o que diabos for isso.



Cafezinho após o almoço na Mercearia São Pedro, na Vila Madalena. Agradabilíssimo sábado à tarde. A Clarinha, o Lacerad e a Paula tentam me civilizar à força, pois matuto grosseirão que sou, não entendo um copo de chocolate quente com menos de meio litro. Mas estou melhorando meus hábitos à mesa. Pra ter uma idéia, não desabotoou mais a camisa e nem bato na pança, à guisa de satisfação. Pura Nova York.
Beijo, Clarinha, obrigado pela acolhida carinhosa e por me apresentar aos teus amigos!
Show do R.E.M. do dia 10. Notoriamente um cara baixo-astral, o Stipe estava estranhamente eufórico. Não dá pra enganar o público, e a banda obviamente estava contentíssima em tocar no Brasil depois de tantos anos. Ajudou o fato do Obama ter ganho a eleição, já que a banda só soube as notícias de casa pela TV, pois estavam em turnê pela América do Sul. Lá pelas tantas o vocalista menciona a vitória do democrata, sendo ovacionado pela platéia. Um grande feito! É notório nosso antiamericanismo imperial, e o fato do R.E.M., uma banda sofisticada, falar de um assunto doméstico para uma platéia também antenada - e ser aplaudido efusivamente - foi sensacional. As coisas mudaram nos Estados Unidos, graças aos céus!
O show foi caloroso. Só sucesso, o povo cantou junto cada música. O Via Funchal estava lotado mas não claustrofobicamente apertado, ponto pra organização do evento. Tinha espaço pra pular e dançar. Já viram um elefante marinho pulando? Pois eu não deixava nada a dever. O som estava perfeito e ainda fiquei numa boa localização com relação ao palco. Tudo perfeito, o povo também estava alucinado mas ao mesmo tempo, comportadíssimo. Um show de elegância. De fato, cada banda tem o público que merece. Fãs mais cabeça e educados, só no show do Radiohead, em abril. Bó?
Darei uma bala soft usada pra quem explicar essa foto. Um gordo cofrudo e sua mulher, que amamenta em plena Paulista ensolarada. Eu alegre e falante como se achasse meu irmão gêmeo paulistano. WTF?

3 Comments:

Blogger Edge said...

putz, sinceramente. Sampa é uma maravilha de lugar!!!

Nossa New York. E Caetano está completamente coberto de razão quando fala da 'elegancia discreta de suas meninas'

12:44 AM  
Blogger Hemeterio said...

São Paulo é ótima, so tenho uma queixa, e isso nao diz rspeito à cidade, mas a mim. É que não peguei chuva. Eu tenho um sol na testa que me acompanha. Onde eu vou, nao chove. Antes d´eu chegar, só temporais. Nos cinco dias que passei lá, sol de voltar queimado. Maldição!

2:40 AM  
Blogger ollie said...

WTF indeed.

5:42 PM  

Postar um comentário

<< Home