sábado, novembro 29, 2008

Chibata! no cofre

sexta-feira, novembro 28, 2008

Sigam-me los goods.

http://twitter.com/Hemeterio

quinta-feira, novembro 27, 2008

Chibata! na Conrad

O lançamento do Chibata! em Fortaleza é destaque no site da Conrad, saquem só:



http://www.conradeditora.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=2478

Só lembrando: às amigas de Fortaleza que quiserem comprar o livro, tem na Siciliano do Iguatemi. E, sei lá, querendo um autógrafo, entrem em contato comigo aqui pelo blog que eu irei pessoalmente à sua casa, nu, munido de caneta e lápis. Hasta luego.

Minotauros

Imagine como seria Guernica em quadrinhos. O Laerte tá construindo uma coisa parecida, o Manual do Minotauro. A obra deverá ter 27 partes, por enquanto você pode acompanhar as tiras no blog dele. Onde? Bem aqui:

http://manualdominotauro.blogspot.com/

Falando em Minotauro, na recente falação pra turma de Arquitetura da UFC, fiz um cartaz pra oficina de cartuns que apresentei por lá. O tema era o Culto a Baco, nossa festa grego-romana anual. Acabei fazendo um minotauro também, usando cartolina e giz de cera. Nada de comparações com o Laerte, não agüentaria ouvir a verdade e me enforcaria num pé de hortelã.

segunda-feira, novembro 24, 2008

Chibata! na imprensa

As críticas, comentários e pitacos sobre o Chibata! têm sido constrangedores, de tão elogiosos. Já saímos no JB, O Globo, Folha, O Estado ( do Ceará), Diário do Nordeste, O Povo, Correio Braziliense, revista Playboy e em inúmeros sites e blogs. A Conrad tem uma compilação de tudo isso no seu site pra imprensa, você pode conferir aqui, ó:

http://www.mangaconrad.com.br/xblogx

Obrigado a todos os veículos pela acolhida carinhosa. Certamente, novembro é um mês em que os jornalistas estão de bom humor, só pode!

Chibata! em Fortaleza





O Lançamento foi um sucesso, nada como colocar a banquinha na rua e esperar que alguém compre nosso pão.
Então tá combinado assim: se você estiver em Fortaleza, pode comprar o Chibata! na Siciliano do Iguatemi. Em outros Estados, só se tiver chegado por aí ou via Internet mesmo, tem em todas as livrarias. Quem tiver comprado e quiser uma rasura personalizada hã... apareça aqui pra gente combinar.

sexta-feira, novembro 21, 2008

LANÇAMENTO

Pessoal, antes de mais nada, minhas desculpas!

Só hoje tive a confirmação do lançamento do livro pela Siciliano e pela Conrad. Enfim. Avante. Pois vai ser na Siciliano do Iguatemi, dia 22, sábado, às 16:00. A Siciliano é aquela grande, ao lado da Centauro. Eu e Olinto estaremos lá distribuindo rasuras nos livros de vocês. Quem tiver uma mail list grandinha também pode repassar o convite, viu? Vejamos a força da Internet!

quinta-feira, novembro 20, 2008

Entrevista ao Bom Dia Ceará

A Verdes Mares é a afiliada local da Globo. Nisso, eles ficaram encarregados de fazer a coleta de imagens pra matéria na GloboNews sobre o Dia da Consciência Negra e a nossa HQ Chibata!. De quebra, eles editaram seu próprio material pra aproveitar a viagem, claro. A entrevista foi ao ar hoje, no Bom Dia Ceará, e ficou bem legal. Como de praxe, filmei mal e porcamente a partir da própria tv. E como sempre também, ficou tosco, mas vale o registro.

Daqui a pouco, ainda hoje, coloco no ar a entrevista original pra GN, ok?

Globonews

Povo, hoje, dia 20 de novembro, a Globonews vai exibir uma notinha sobre o Chibata! Eu e o Olinto falamos sobre a HQ, os bastidores da produção e a importância do João Cândido na História do Brasil. Vai ser no Jornal das 10. Aos amigos do Norte e Nordeste, uma hora a menos, às 9 da noite. Até lá!

terça-feira, novembro 18, 2008

Clix de perto

Recebi o seguinte e-mail, há umas semanas:

Gostaríamos de te convidar para participar da seção da Revista Clix chamada Umbigo. É bem tranquilo, estilo entrevista ping-pong. A gente lança uma palavra e você fica à vontade para responder como achar que deve. Fique à vontade mesmo! Abaixo, envio a entrevista e fico aguardando seu retorno. Para a seção também pedimos para o convidado, duas imagens. Uma normal mesmo, de rosto, de corpo todo, como queira (rs) e outra do próprio umbigo do entrevistado. Você também pode enviar para gente?

Marmota é meu nome do meio. Não só respondi as perguntas gaiatamente, como pra queimar de vez meu filme, mandei a foto do barrigão/umbigo em destaque. Saca só:

---...---

Eu (uma palavra que te defina):

Singularidade.

Traço (o que ou quem influencia de alguma forma sua produção visual):

Edward Gorey, Dave McKean e Gary Larson.

Para desenhar (seu material de trabalho, o que costuma usar):

Lápis comuns, várias Uni-Pins e Paper-Mates Futura.

Calor (o que a palavra te remete):

Ônibus lotado.

www (um site bacana que você costuma visitar):

osmachistas.blogspot.com

Trabalho (o que significa pra você):

Tendinite.

Prazer (o que te vem à cabeça):

Three miles of bad road.

Playlist (o que você tem ouvido):

R.E.M. e Oasis.

Céu ou inferno (o que prefere):

Inferno. Não conheço ninguém no Céu.

Falta fazer (algumas coisas que você ainda quer realizar):

Desenhar um selo e um rótulo de cachaça.

Revolta (o que te deixa puto da vida)

Burocracia. E gente que fala: meu querido.

Ego:

Do tamanho de metade do Aleph de Borges.

2008 (o que foi (ou está sendo) esse ano pra você):

Annus Beatitas.

Você tem fome de que:

Nunca tenho fome, só sede.

No copo (o que mais gosta de beber e não pode faltar no copo):

Cerveja Xingu numa caneca de viking.

Ops! (alguma coisa que fez ou que viu e pegou mal):

O Sol.

Boca suja (palavrão predileto):

Puta que pariu!

Amanhã:

É 23.

Frustração:

Nenhuma ruiva caiu na minha conversa. Ainda.

Crop (o que você gostaria de cortar na área da produção visual):

Os mimimis.

Memória (do que tem saudade, o que ficou na lembrança):

Pirulito Zorro.

Imagem:

O desenho da capa do The Very Best of Cat Stevens, feito pelo próprio.



---...---

Mais aqui, no site da revista:

http://www.myclix.com.br/

domingo, novembro 16, 2008

Benett aporcalha

A Porko Parade do Benett ameaça tomar conta de toda a mídia do Brasil. Antes restrito a notinhas na revista do Globo Rural, agora a brincadeira toma de assalto o site da Revista Trip. Um desenhinho meu até aparece por lá, ora vejam só. Mais aqui:

http://revistatrip.uol.com.br/acp/conteudo.php?i=25666

Meu crucifixus porkus, um alerta para o que pode vir a ser o culto ao Bix, caso o bichinho seja mesmo morto no Natal. Que o Governo crie uma reserva ambiental para os porcos no interior do Paraná!

quinta-feira, novembro 13, 2008

Palíndromo pra banda de Atlanta:

MERDA! MAD R.E.M.

quarta-feira, novembro 12, 2008

REMiniscências

Voltei ileso, ou quase: tô de coração partido. A viagem foi espetacular e deixar a velha Piratininga dos jesuítas foi uma decisão tomada à força. Basicamente, só não continuei lá por todo o sempre porque o Formule 1 da Nove de Julho não virou, ainda, um albergue do Exército da Salvação. Cidade boa, puxa vida, não é à toa que a cearensesada toda um dia descamba pra lá, é como se São Paulo tivesse um grande atrator de cabeças-chata, que projetasse hologramas de rapadura e farinha em pleno altiplano da Serra do Mar. Mas divago. Vejam aí algumas fotos da viagem, com legenda.



Sábado, entrada do Via Funchal para a retirada dos ingressos. No painel, também anunciavam um show do Queen (??) e do Nightwish, seja lá o que diabos for isso.



Cafezinho após o almoço na Mercearia São Pedro, na Vila Madalena. Agradabilíssimo sábado à tarde. A Clarinha, o Lacerad e a Paula tentam me civilizar à força, pois matuto grosseirão que sou, não entendo um copo de chocolate quente com menos de meio litro. Mas estou melhorando meus hábitos à mesa. Pra ter uma idéia, não desabotoou mais a camisa e nem bato na pança, à guisa de satisfação. Pura Nova York.
Beijo, Clarinha, obrigado pela acolhida carinhosa e por me apresentar aos teus amigos!
Show do R.E.M. do dia 10. Notoriamente um cara baixo-astral, o Stipe estava estranhamente eufórico. Não dá pra enganar o público, e a banda obviamente estava contentíssima em tocar no Brasil depois de tantos anos. Ajudou o fato do Obama ter ganho a eleição, já que a banda só soube as notícias de casa pela TV, pois estavam em turnê pela América do Sul. Lá pelas tantas o vocalista menciona a vitória do democrata, sendo ovacionado pela platéia. Um grande feito! É notório nosso antiamericanismo imperial, e o fato do R.E.M., uma banda sofisticada, falar de um assunto doméstico para uma platéia também antenada - e ser aplaudido efusivamente - foi sensacional. As coisas mudaram nos Estados Unidos, graças aos céus!
O show foi caloroso. Só sucesso, o povo cantou junto cada música. O Via Funchal estava lotado mas não claustrofobicamente apertado, ponto pra organização do evento. Tinha espaço pra pular e dançar. Já viram um elefante marinho pulando? Pois eu não deixava nada a dever. O som estava perfeito e ainda fiquei numa boa localização com relação ao palco. Tudo perfeito, o povo também estava alucinado mas ao mesmo tempo, comportadíssimo. Um show de elegância. De fato, cada banda tem o público que merece. Fãs mais cabeça e educados, só no show do Radiohead, em abril. Bó?
Darei uma bala soft usada pra quem explicar essa foto. Um gordo cofrudo e sua mulher, que amamenta em plena Paulista ensolarada. Eu alegre e falante como se achasse meu irmão gêmeo paulistano. WTF?

quarta-feira, novembro 05, 2008

Three miles of bad road



Tô de volta terça-feira 11 novembro. Recados, entrevistas ou pedidos de casamento, por esse blog, sivuplé.
O que você é capaz de fazer com um porco? Pergunta capciosa. Se eu for um vegetariano, nada. Se eu for um judeu, só posso sentir asco do suíno. Mas se eu for um zoófilo, um mundo de possibilidades se abrem...


Está no ar a sensacional e estrebuchante Porko Parade. Estou com cinco porcos - quase uma cáfila! - na parada. Confira aí em cima, clicando no desenho do Benett ou por aqui mesmo, se der preguiça:

sábado, novembro 01, 2008

Entrevista TV Diário

Até que não nos saímos assim tão constrangedores. A entrevista para o Caderno 3, programa da grade da TV Diário de Fortaleza, foi bem legal e muito bem editada. Usei minha câmera pré-cambriana para filmar a própria tv, e o resultado foi tosco, mas o que vale é o registro. Engraçado a câmera tentanto ajustar o foco, como se profundidade houvesse num tubo catódico. Máquinas!