quinta-feira, fevereiro 05, 2009

PV II, mais esboços

Fiz mais um rascunho da estrutura principal do PV II. Edifício muito simples, na verdade. Um pórtico de megacolunas em arco, com megavigas engastadas. Ancoradas dessa forma, as arquibancadas poderiam sustentar até uma torcida de mamutes lanhosos, acomodados com conforto. Acho que o balanço pode até ser maior, verificar com a engenharia.
No alto, uma plataforma com mirantes e bares, abertos até bem depois dos jogos - e funcionando o dia todo também, para almoço e jantar. Um novo point para a velha guarda!
Obviamente, o projeto prevê rampas e elevadores para os cadeirantes e demais público, sobretudo para o acesso às cabines e bares. Banheiros, ambulatórios, lanchonetes e demais serviços seriam acomodados, como de praxe, no vão abaixo das arquibancadas.
A estrutura das arquibancadas seria de aço, bem como das cabines e camarores. A redução do peso em virtude da escolha do material e os engastes no pórtico dariam uma solidez extraordinária à estrutura. Além é claro, do próprio desenho curvo do prédio que confere mais rigidez e estabilidade.

Limitei a apenas seis megapilares, mas dependendo da área disponível - lembrem-se, isso é apenas um esboço sem a tomada de nenhuma cota, só um aquecimento feito de memória - poderiam ser bem mais.

15 Comments:

Blogger ollie said...

Caracas, Gordo. Tô gostando muito desse projeto. A idéia das quatro partes serem isoladas é genial. Com cada parte tendo a estrutura básica repetida, banheiros, alimentação, entrada, ambulatórios, e afins, você mata o problema da concentração e das filas, etc. Cria até a possibilidade de novos hábitos e superstições, como: "ah, meu Fustaleza só ganha quando eu sento na arquibancada Oeste, vou pra lá que dá sorte." Afinal, falamos de algo tão cheio de fanatismos e marmotas como futebol.

Discordo porém dessa coisa utópica de querer "incentivar de transporte público". Não se aplica. Desista e vá construir um estádio em Vancouver. Aqui, você não precisa incentivar. O grosso do público vai usar ônibus e trens porque não tem outra escolha. Já outros deixariam de ir assistir um jogo ou espetáculo para evitar a mistura de classes dentro de um terminal ou de um metrô. E iria destruir o trânsito ao redor, porque essa certa classe não abdicararia de seus carros, que ficariam entupindo as margens e as calçadas das vicinais. Não funciona.

Odeio admitir isso, mas foi-se o tempo onde a arquitetura ditava o comportamento urbano. Hoje ela curva-se a ele, e para que qualquer projeto, ainda que imaginário, seja levado a sério, deve se manter dentro das regras da sociedade que vai servir. Ó lástima.

5:24 PM  
Blogger ollie said...

Não sei se serve de contexto para quem está lendo esses comentários, mas eu, o Hemeterio e o irmão dele, costumamos ir assistir jogos no estádio original, que esse projeto substituiria. Conhecemos de experiência própria seu charme e suas debilidades.

5:27 PM  
Blogger Hemeterio said...

O lance é compartimentar o público. Digamos que haja pânico gerado por brigas, acidentes, sei lá. Como cada parte está isolada, o tumulto está "estancado" e restrito a certa área. Pode ser melhor adminsitrado e eventualmente contido pela polícia, bombeiros ou ambulancias.

A observação sobre os estacionamentos é perfeita, não tenho grilo nenhum em botar no projeto. Só que tudo é gasto. Se houver grana, dá pra fazer um subsolo de 5 andares, como no caso dos shoppings Avenida e Aldeota. Pensando bem, vai ser até melhor. Essencial, até.

Quero comprar e preservar aquele enorme bosque ao lado, e integrar o Estádio e o bosque num imenso calçadão arborizado, como nas ramblas de Barcelona. E com segurança da PM 24h, claro, que eu conheço meu eleitorado. O Posto da PM poderia ficar lá, bem pensado.

O complexo todo ia ficar sensacional. Sonha, Alice!

5:38 PM  
Blogger Hemeterio said...

Ah, ele tem um quê de La Bombonera, não?

Não poderia ser muito diferente, já que o terreno é exíguo, e a úncia saída é ir para o alto.

5:42 PM  
Blogger Tarso Bessa said...

Gostei da idéia de restaurantes funcionando fora do horário de jogo. Um mini complexo de divertimento. :)

O projeto tá simples, mas tá charmoso.

4:55 AM  
Blogger Hemeterio said...

Estádios e Pontes são bem simples, na verdade. Nos dois casos, quando a estrutura está concluída, o prédio está praticamente pronto. Não tem essa frescurinha de pintar de rosinha nem de colocar papelzinho de parede. Arquitetura brutalista, coisa de macho.

Tanbém quero privilegiar as linhas de visada. Observando com cuidado, o Estádio não teria "muros". A própria estrutura delimita o espaço. Novamente, mais ou menos como já acontece no atual PV, já que o terreno é bem pequeno. Veja que alguém no entorno do estádio poderia ver o circulo central do campo sem dificuldades. No mais, grades e portões - capazes de conter Aníbal e seus elefantes - seriam suficientes para "murar" Estádio e caracterizar seus espaços privados.

5:13 AM  
Blogger blog da scarlet said...

dava pra fazer ele oval? quem sabe no futuro o PV nao tem eventos olimpicos

5:54 AM  
Blogger Hemeterio said...

Lelé, o espaço é muito apertadinho, talvez não dê pra fazer uma pista olímpica. Mas dá pra organizar um torneio de corrida de saco, voo de pipas e vai ter muito espaço pra brincar de bambolê.

Quando titia Luizianne chamar o titio Hemé pra fazer o Estádio, vou abrir os portões uma vez por mês pra criançada brincar no gramado, desenhar e correr, viu?

6:55 AM  
Blogger ollie said...

Agora o Millôr entrou na discussão:
http://tinyurl.com/arqmillor

9:14 AM  
Blogger Carlos DIEGO said...

Soh achei que as cabines de Radio e TV estão muito distantes do campo o que poderia dificultar o trabalho dos nossos nobres jornalistas esportivos a desempenhar o seu labor... Principalmente no reconhecimento dos jogadores que se aventurarem pelas laterais contaria a dos cronistas.

11:58 AM  
Blogger Carlos DIEGO said...

Não caberiam estacionamentos atras das arquibancadas carros subindo como no iguatemi... não descendo como no avenida e aldeota?

12:00 PM  
Blogger Hemeterio said...

Diego, os comentaristas não estariam mais altos do que, digamos, o expectadores da arquibancada superior do Castelão. Só que a vantagem no caso do PV II é que apesar de altos, eles estariam praticamente na beira do campo. no mais, eles se viram, pode deixar.

Com relação aos estacionamentos, construir um edificio garagem pode não dar certo, mais uma vez, pelo reduzido espaço do terreno. A melhor opção é "enterrar" os carros. Olha que curioso. Se o orçamento permitir, todo o estacionamento pode ser construído sob o campo. Assim, o campo de futebol repousaria tranquilo sobre 5 andares de estacionamentos!

A saída e a entrada dos carros particulares não deverá ser a mesma das reservadas aos carros oficiais. No entanto, é necessario que serviços de emergencia tenham acesso facil aos estacionamentos, para evitar brigas e vandalismo. basta um portão grosso.

Essa solução (o estacionamento sob o gramado)seria ideal para drenagem, aplainamento e conservação do gramado. O daria um charme especial jogar sobre milhares de carros. Como sempre, minha ladainha: tendo grana, dá pra fazer qualquer cosia.

12:11 PM  
Blogger Haron said...

Hemé,

Achei muito legal a idéia, só não consegui entender como nossos amigos cadeirantes conseguirão assistir o embate. Não vi acessos nesse prédio principal por rampas, só escadas. Imagino que tenha algum elevador.
A idéia dos blocos separados lembra muito o estádio da Ilha do Retiro do Sport. Isso é bom e é ruim ao meu ver, pois proporciona que torcidas se aglomerem em um só ponto e numa confusão a única via de escape se afunila, vc não tem como ir para os lados.
Outra coisa que notei é o fácil acesso ao campo pelo torcedor, o que sabemos que aqui não é muito saudável, principalmente para a integridade física do trio de arbitragem.

3:43 AM  
Blogger Hemeterio said...

Haron, é só um esboço, não tem como detalhar o projeto nessa escala e nesse traço. Mas sim, é claro que haverá rampas, elevadores e tal, numa boa.

Existirão quatro rampas helicoidais, duas em cada quina das arquibancadas. Não haverá contato entre torcidas rivais, e a separação entre os blocos é justamente para isolar as feras.

Também vai haver uma separação entre o campo e a torcida, via alambrados - uma bolada disparada numa falta pode atingir alguém nas arquibancadas - e também através de um fosso.

Conceitualmente, quero que o Estádio seja bem "transparente", e que quem estiver passando na rua possa ver o que acontece dentro, mesmo que por frestas. No mais, muita grade e portão para vetar o acesso não autorizado. Ah, e um estádio cheio de "vazamentos" é psicologicamente, imune ao pânico - já que sempre, para onde quer que se veja, há uma saída pra rua.

O atual PV tem essa "intimidade' entre o publico e os jogadores, já que historica e anedoticamente, o "caldeirão" que se torna o PV tem muito a ver com os insultos - e elogios - que os jogadores conseguem ovir da torcida. quero muito que isso seja mantido ate porque frequento o estádio velho e acho isso super divertido.

Impagável o goleiro Júlio César, na época no Flamengo, ter que ouvir bem de pertinho da torcida do Fortaleza: - eu eu eu, Ronaldinho já comeu!, se referindo à Suzana Werner, ex do fenômeno e atual esposa do guardametas.

9:27 AM  
Blogger ollie said...

Olha só, as coisas tão evoluindo. Tudo ocorre segundo os desígnios do Sr. Burns.

Gravei isso aqui no intervalo do jogo do Brasil, terça feira passada:

Novo PV?

2:45 PM  

Postar um comentário

<< Home