segunda-feira, junho 15, 2009

Spaceship H

Vi no Sebão um livro sobre design de espaçonaves. Acho que era uma publicação dos anos de 1970. Esse é o tipo de exercício de futurologia fadado ao ridículo. Basta lembrar daqueles artigos na revista Life, por exemplo, onde os engenheiros dos anos de 1950 imaginavam como seriam os carros no longínquo ano de 2000: patéticos. E de fato, as soluções de naves espaciais eram bem bobas, quase risíveis. Acho que vou voltar lá e pegar o livro. Mas digresso.

Pois bem. No cinema, a melhor solução para uma espaçonave realista veio da nave Discovery, de 2001, uma Odissséia no Espaço. Ao contrário de George Lucas, que bolava suas naves aerodinamicamente, a nave de 2001 era um ser do espaço. Sob influência de um campo de gravidade como o da Terra, ela se partiria em duas, incapaz de sustentar seu próprio peso e momento angular. Sempre gostei de desenhar minhas próprias espaçonaves. Obviamente, influenciado pelas mais distintas fontes. Vejam o caso dessa aqui:



Lembra um pouco a Enterprise. Só que sem os exageros sem sentido, como aquela coluna de sustentação do disco - pera lá, o que é aquilo? O meu disco é fixo num eixo, e esse eixo gera uma rotação para que seja criada gravidade artificial, pela força centrífuga. Nisso eu imitei a solução da nave Discovery, sempre ela, que tinha um "tambor" giratório para a mesma função. Acompanhem os números:

(1) O disco central gira para simular uma gravidade confortável. Claro que quanto mais longe do eixo de rotação, maior a sensação de compressão. O segredo é achar um meio termo. Digamos que uma gravidade um pouco maior que a da Lua já seria adequada para a tripulação. O suficiente apenas para que possibilitasse o caminhar seguro e a fluidez de líquidos, além de evitar a atrofia de músculos e ossos. Na borda externa do disco poderia haver uma floresta com pomares e hortas. E no penúltimo andar, um enorme corredor desimpedido, que simularia uma reta infinita (como o planeta-anel de Halo), um espaço tão alto e generoso como um hangar. Psicologicamente, seria bom ter um lugar pra correr e dar uns gritos, já que a nave ficaria anos e anos no espaço, a cada missão. Dimensões: pelo menos 200m de diâmetro. Capacidade: uns 1.000 cientistas, cada um com sua cabine individual, tão grande quanto um pequeno apartamento na Terra.

2) A ponte da nave, sem a gravidade artificial. Esse seria o habitat por excelência dos astronautas profissionais, os sujeitos que irão pilotar a nave. Mais ou menos como a torre de comando de um porta-aviões.

3) Estruturas de comunicação.

4) Reatores de fusão. Os grandes coletores poderiam capturar rochas e poeira no espaço, e convertê-los em energia pura. Motores possantes o suficiente para explorar o sistema solar. E um pouco além.

5) O pulo do gato, na minha humilde opinião. Essas estruturas contêm dois poderosos magnetos, que gerariam um enorme campo magnético que envolveria a nave - como o núcleo de ferro líquido da Terra faz, ao girar. O proprio disco (1) da nave movimentaria os magnetos, como a roda da bicicleta aciona o rotor que faz a lenterna acender. A nave teria assim dois polos magnéticos, que protegeriam a nave da radiação do espaço profundo. De nada, de nada.

6) Popa da nave, com sistemas de fuga, para emergências.

7) Comparativo das dimensões da nave, ao lado de aviões de grande porte (mais ou menos, 70m).

8) A bandeira da Terra.

Veja que nesse caso a nave não se projeta num futuro distante, ela poderia ser construída - no espaço - com a tecnologia disponível hoje. A única exceção seriam os reatores de fusão, ainda pré-pré-experimentais. Custo do projeto? Ah, o PIB da Terra, eu acho. Começem a economizar.

2 Comments:

Blogger Zarastruta said...

Heme',

Voce esqueceu a privada de anti-materia: resolve dois problemas: elimina os residuos liquidos e solidos e acaba com qualquer prisao de ventre. O resto ficou muito bom. Eu ate' queria contruir, mas meu dinheiro disponivel nao passa de miseros 10% do PIB da Terra (infelizmente perdi dinheiro nesta crise).

2:19 PM  
Blogger Hemeterio said...

Z, a má notícia é que resíduos orgânicos e água são raros no espaço e serão reciclados, rerere.

No mais, é isso aí, vamos coletar assinaturas pro Obama construir uma.

5:08 PM  

Postar um comentário

<< Home