terça-feira, julho 21, 2009

O pessoal do Google, tão inteligente e ganhando tão bem, não tem desculpa pra derrapagens. Aterrissagem não, por favor. Alunissagem. Da mesma forma, um pouso no mar é amerrisagem e um pouso na cabeça da sua benga é afalossagem.


IMPACT NEWS

Ontem, entre 19 e 20 de julho, um asteróide atingiu o planeta Júpiter. A imprensa especializada ainda tenta saber o que atingiu o planeta. Eu digo logo que foi um asteróide por uma razão muito simples: ele não foi detectado a tempo pelos observatórios em Terra e pelas naves em órbita de Júpiter. Se fosse um cometa, a coma (a cauda incipiente) teria denunciado sua presença. Asteróides são furtivos pois rochas e metal enegrecido, na maioria das vezes, não refletem bem a luz, e são em geral, bem menores que cometas.

Portanto um asteróide atingiu Júpiter, deixando uma cicatriz nas nuvens do planeta gigante do tamanho da nossa Terra. A "Cratera" resultante é muito parecida com as que se formaram depois do impacto do cometa Shoemaker-Levy em 1994. O dano não é permanente, obviamente, pois Júpiter é um planeta gasoso em sua superfície, e os "cortes" logo se fecham. Mas a mancha vai perdurar por alguns dias, até sumir.

Isso me leva a pensar naquela teoria meio determinista que a vida só pode se desenvolver - e evoluir - em sistemas estelares e planetários parecidos com o nosso. Sem um Júpiter e um Saturno como guarda-costas, a Terra seria constantemente atingida por asteróides e cometas, que dariam um reset contínuo na vida que eventualmente surgissse. Sem estabilidade, não daria tempo das formas de vida simples atingirem esse nosso nível atual de complexidade. E vejam que mesmo assim, registros geológicos apontam "esterilizações" em massa a cada 100 milhões de anos, justamente por causa de impactos. Sem Júpiter lá em cima funcionando como um aspirador de pó gigante, a gente teria um impacto devastador a cada geração. A gente é um modo de dizer, pois a Terra não abrigaria nada mais sofisticados que peixes e moluscos.

Dados técnicos rapidinhos: Júpiter concentra 90% da massa do sistema solar (excluindo o sol, é claro). Tecnicamente, Júpiter é uma anã marrom, ou seja, uma estrela que falhou. Por muito pouco, a pressão, a densidade e a temperatura no núcleo de Júpiter não deu a ignição necessária para gerar reações termonucleares - e fazer com que o planeta brilhasse. Júpiter está a 770 milhões de quilômetros do Sol, e leva uns bons 10 anos para completar uma translação. Seu diâmetro é de 140 mil quilômetros. Para efeito de comparação, a Terra tem apenas 12 mil quilômetros de crosta a crosta.
UPDATE!
Me toquei de uma coisa. Se aquela pedra não topasse com Júpiter, e se ela continuasse sua jornada para o centro do Sistema Solar - afinal, ela vem acelerada pela gravidade do Sol; iria passar nas imediações da Terra daqui a uns dois anos. Ou seja:
2012.
Será que Júpiter frustrou o Fim do Mundo?

5 Comments:

Blogger Zarastruta said...

Heme',

No original eles usam "Moon Landing" (pouso na lua). O pessoal do Google Brasil foi que fez a confusao.

De qualquer maneira eu prefiro o Bing!

9:40 AM  
Blogger Hemeterio said...

Z, si si, tô frescando com os bocoiós daqui mesmo.

Tu viu? Escapamos de ser extintos por causa de uma pedra voadora!

10:00 AM  
Blogger Guabiras said...

frustou nada!
o alinhamento ainda
tá pra vim...
é bom que não
quitaremos aquele
apartamento de trezentos zilhoes de
prestações da CAIXA!
\o/

6:50 PM  
Blogger Hemeterio said...

Guabiras, eu quero é ver a marmota. Nós, os sobreviventes (Eu, tu, nossos chapas e familiares, mais o cast da Ford Models), teremos a chance de repovoar o planeta!

7:57 AM  
Blogger Michel said...

Heme, acho que o lance de Aterrissar é o mesmo de Embarcar, que no caso também é usado para aviões...
--
Metáfora necessária, estereotipada, resulta a catacrese da ausência de termo próprio para designar determinada coisa (pernas da mesa, cabeça de alfinete, etc), o que conduz, às vezes, ao estabelecimento de relações de semelhanças algo abusivas e forçadas, como se vê, exemplo, em - embarcar num trem, o avião aterrissou em alto mar, enterrar uma farpa no dedo, espalhar dinheiro, azulejos verdes.

11:28 AM  

Postar um comentário

<< Home