sexta-feira, julho 31, 2009

CHIBATA! Segunda Edição



Olhaí a cara do Chibata! Segunda Edição. A foto foi tirada pelo Michel esse mês, lá em Brasília. Deve chegar aqui no mato sabe-se lá quando. Os sulistas e sudestinos podem achá-lo nas livrarias do ramo, ou pelas livrarias na Internet, como Cultura, Submarino, Saraiva, Siciliano e.... Estante Virtual. Caçem à vontade!

Bom esse papo de segunda edição, né? Significa que a primeira vendeu tudo ou o caminhão da distribuidora caiu no rio. Ah, os boatos que estamos preparando um Chibata! 2, João Cândido e os Incas Venuzianos contra a Nova República e seu bigode atômico são infundados. Se bem que...

Well, obrigado a todos que compraram o nosso livro! O espaço pra literatura no Brasil é restrito, imagine pra quadrinhos cabeções. Todos vocês são heróis.

Olha só um poema de um amigo e comprador da primeira edição do Chibata! Legal, não?

Grande Hemetério!

E a saga continua
Em bancas e livrarias
Alegria minha e sua
Pela história e poesia
Todos falando nas ruas
A Chibata nua e crua
Lida com democracia.

Abraço,

Velho Arísio.

segunda-feira, julho 27, 2009

Explain this picture!

O novo Gandalf/Mithrandir.



Guaramiranga

Altiplano cearense, a serra de Guaramiranga fica a apenas 120Km de Fortaleza. A sede do município está a uns 850m de altitude e o ponto culminante da região é o Pico Alto, com 1.115m. À noite, 15º. Apesar dos séculos de devastação, o que eu vi estava bem conservado.


terça-feira, julho 21, 2009

O pessoal do Google, tão inteligente e ganhando tão bem, não tem desculpa pra derrapagens. Aterrissagem não, por favor. Alunissagem. Da mesma forma, um pouso no mar é amerrisagem e um pouso na cabeça da sua benga é afalossagem.


IMPACT NEWS

Ontem, entre 19 e 20 de julho, um asteróide atingiu o planeta Júpiter. A imprensa especializada ainda tenta saber o que atingiu o planeta. Eu digo logo que foi um asteróide por uma razão muito simples: ele não foi detectado a tempo pelos observatórios em Terra e pelas naves em órbita de Júpiter. Se fosse um cometa, a coma (a cauda incipiente) teria denunciado sua presença. Asteróides são furtivos pois rochas e metal enegrecido, na maioria das vezes, não refletem bem a luz, e são em geral, bem menores que cometas.

Portanto um asteróide atingiu Júpiter, deixando uma cicatriz nas nuvens do planeta gigante do tamanho da nossa Terra. A "Cratera" resultante é muito parecida com as que se formaram depois do impacto do cometa Shoemaker-Levy em 1994. O dano não é permanente, obviamente, pois Júpiter é um planeta gasoso em sua superfície, e os "cortes" logo se fecham. Mas a mancha vai perdurar por alguns dias, até sumir.

Isso me leva a pensar naquela teoria meio determinista que a vida só pode se desenvolver - e evoluir - em sistemas estelares e planetários parecidos com o nosso. Sem um Júpiter e um Saturno como guarda-costas, a Terra seria constantemente atingida por asteróides e cometas, que dariam um reset contínuo na vida que eventualmente surgissse. Sem estabilidade, não daria tempo das formas de vida simples atingirem esse nosso nível atual de complexidade. E vejam que mesmo assim, registros geológicos apontam "esterilizações" em massa a cada 100 milhões de anos, justamente por causa de impactos. Sem Júpiter lá em cima funcionando como um aspirador de pó gigante, a gente teria um impacto devastador a cada geração. A gente é um modo de dizer, pois a Terra não abrigaria nada mais sofisticados que peixes e moluscos.

Dados técnicos rapidinhos: Júpiter concentra 90% da massa do sistema solar (excluindo o sol, é claro). Tecnicamente, Júpiter é uma anã marrom, ou seja, uma estrela que falhou. Por muito pouco, a pressão, a densidade e a temperatura no núcleo de Júpiter não deu a ignição necessária para gerar reações termonucleares - e fazer com que o planeta brilhasse. Júpiter está a 770 milhões de quilômetros do Sol, e leva uns bons 10 anos para completar uma translação. Seu diâmetro é de 140 mil quilômetros. Para efeito de comparação, a Terra tem apenas 12 mil quilômetros de crosta a crosta.
UPDATE!
Me toquei de uma coisa. Se aquela pedra não topasse com Júpiter, e se ela continuasse sua jornada para o centro do Sistema Solar - afinal, ela vem acelerada pela gravidade do Sol; iria passar nas imediações da Terra daqui a uns dois anos. Ou seja:
2012.
Será que Júpiter frustrou o Fim do Mundo?

sexta-feira, julho 17, 2009

Trecho de um desenho pro livro novo. Eu adoro desenhar tijolos, não sei se sabem.


Good Luck, mr. Gorsky!

20 de julho de 2009, 40 anos da primeira caminhada na Lua. Foi a maior aventura humana desde, sei lá, atravessar a pé o estreito de Bering. Foi uma aventura tão ou mais importante que circunavegar o mundo numa caravela, como a saga de Magalhães/Del Cano. Pisar em outro planeta simplesmente não estava nos planos dos nossos genes, adaptados e confortáveis num planeta morno. Definitivamente, passamos a perna na Evolução e fomos até onde nenhum outro esporo terrestre foi. Não é pouca coisa.

Curiosamente, se houvesse alguma merda que esterilizasse o planeta, provavelmente causada por nós mesmos, os únicos nomes de seres humanos deixados como registro seriam o de quatro pessoas: Michael Collins, Buzz Aldrin, Neil Armstrong e... Richard Nixon! Seus nomes foram deixados numa placa comemoratina na Lua, em 1969. "Viemos em paz, por toda a humanidade". Quem diria, Nixon reabilitado por todo o sempre, como um sábio da raça humana. O que o tempo e uma série de improbabilidades não fazem. Tecendo um paralelo, imagina quanto picareta a Bíblia não chama de Santo...

ATUALIZAÇÃO (20jul2009)

Tem um cara aqui tentando discutir comigo (comigo!) que o pouso na Lua foi uma farsa. E falava um monte de bobagens, e citava números errados, e escancarava um total desconhecimento até mesmo de selenografia e selenologia básicas (Selene, nome grego para a Lua, assim como Geo para a Terra). Eu queria ser mais didático e paciente como Carl Sagan, e tentar argumentar logicamente com uma criatura dessas. Mas não aguento e mando calar a boca. Falei assim pra ele: cara, peço licença e saio da discussão, entrar nesse papo contigo é como aceitar argumentos válidos que a Terra é de fato, cúbica. E vá se fuder! Ok, ok, não disse essa frase final, mas imaginem a vontade.

terça-feira, julho 14, 2009

A revista Conterrâneo, do Banco do Nordeste, publicou este mês uma matéria bem legal sobre quadrinhos produzidos na região. O Chibata! foi destaque, inclusive, com fotos dos autores mostrando suas carrancas feiosas. Destaque também para o trabalho do meu amigo (fala Galvão Bueno!) Klévisson Viana, cearense multitalentoso no desenho e no Cordel.

segunda-feira, julho 13, 2009

Dona Audrey

Desenho para uma parada aí sinistra, cavilosa, camuflada, secreta, paradigmática, sigilosa, umbrosa, escondida, mimética, oficiosa, setechavística, marmotosa, cabeludíssima e impactante. Aguardai, mol (6,022 × 10²³) de curiosos.

sexta-feira, julho 10, 2009

Pingo nas calças

Chamada num portal de notícias que começa com a letra G e termina com o número 1:



Essa cerveja é ácida? Tipo, se cair uma gota na mesa do bar o tampo derrete? Agora fiquei com medo.

quarta-feira, julho 08, 2009

Mexicons II

Ay Chiuaua! Mais dos meus guapos Mexicons! Usted consegue ver que mierda são estes gatafunhos?


>Mexicano num trampolim, à beira da piscina.

>Mexicano e seu bambolê. Ay, caramba!

>Mexicano sentado à mesa esperando que seu chocolate quente, servido numa caneca, esfrie.

segunda-feira, julho 06, 2009

Zomba, zumbi.

Nada contra o gordinho. Selton Mello pode até estampar cartazes de oito filmes ao mesmo tempo. Mas por Tupã, mude de expressão de um pra outro. O meio sorriso boboca não é idêntico nos dois posters? Aliás, ambas as peças não são, na prática, iguais?





Nos dois cartazes, SM aparece com o torso inclinado, quase um flip horizontal entre um e outro. O braço também enlaça a atriz ao lado. A fonte dos cartazes, assim como a cor, é a mesma. A disposição dos nomes também. Já viram como se faz rapadura? O melaço de cana é colocado numas formas rudimentares, como se fossem tijolos. Depois de seco, a forma é retirada e os bloquinhos emergem, uniformes como um exército. Será que na produtora eles têm uma fórmula parecida?

sábado, julho 04, 2009

Mexicons

Droodles são piadas gráficas minimalistas. Droodles podem ser muitas coisas. Esse cara explica melhor, vejam lá na Wiki mais tarde.

O Droodle clássico do Roger Price, inventor da brincadeira, era um mexicano fritando um ovo numa frigideira. O que se via do desenho era o círculo do sombrero, o cabo da frigideira e dois círculos concêntricos, para formar o ovo. Vistos assim, "de cima", era só um amontoado de círculos. A piada vinha justamente da explicação do desenho. Fez e ainda faz um enorme sucesso esse tipo de jogo, digamos dessa forma.

Aí bolei toda uma nova série de desenhos inspirados nos sombreros vistos de cima, que chamei de Mexicons. Aqui coloquei três deles apenas. Depois faço mais, se gostarem. Eu gostei! A "explicação" do desenhos está escrita abaixo, em letras brancas sobre fundo branco. Para ver o que é, basta selecionar com o mouse, ok?



>Um mexicano em posição de sentido, saudando a gloriosa bandeira da República del México, hasteada num mastro bem à sua frente.




>Um tubarão acabando de devorar um pobre mexicano, que estava em Acapulco tomando sol na beira da praia.



>Um mexicano suicida, no topo da quina do prédio. Abaixo, três bombeiros - também mexicanos, é claro - esperam o infeliz com uma cama elástica.

sexta-feira, julho 03, 2009

Modelagem

Como todos sabem, adoro criticar e dar palpite. O que dizer desse texto, tirado de um conhecido portal de notícias....



Peraí, peraí. Essa moça tão bonita é escultora? E ela trabalha com argila? Ou esse trabalho com modelagem é em CGI? Então a Weta deveria contratá-la, puxa, nerds bonitas e gostosas são raras!

Neologismo tem limite. E o único diploma necessário para saber escrever bem é o diploma de doutor do ABC, que todo mundo conseguiu na alfabetização. Obviamente, esse redator cabulou o prezinho.

quinta-feira, julho 02, 2009

Flapjack

Desenho rápido para a revista Conterrâneos, editada pelo Banco do Nordeste. Trata sobre a produção de HQs nos Estados calcinados da parte Norte/Leste do Brasil, ora vejam. Já que eu estava ali do lado mesmo, tem uma matéria sobre o Chibata! também. Quando estiver tudo pronto coloco aqui.



Twitter estepe

Só tenho acesso ao Twitter à noite, entre as sete e uma da manhã. Problemas com a condicional, é complicado explicar. O fato é que perco boa parte daquilo que fez o Twitter atraente: a simultâneidade. Quando vou checar o que rolou (falar no passado sobre o Twitter é estranhíssimo, já que ele vive do agora), tenho dezenas de twitts acumulados. O primeiro da lista já está tão desatualizado, que voltar ao assunto horas depois é tão sem noção como comentar as últimas novidades sobre o Vaticano II, o concílio muito louco de João XXIII. Viu?

Isso aqui é o que eu gostaria de postar, se estivesse com o Twitter ligado:

Flapjack. O mesmo humor nonsense que consagrou Bob Esponja. Talvez mais. Passa no CartoonNetwork. De nada, de nada.

É difícil achar dois times que eu deteste mais: Internacional e Corínthians. Um combinado dos dois poderia jogar contra o time do Inferno. Sabe pra quem eu iria torcer? GO SATAN, GO!

Ô TIO! EVITA CURURU PURURUCA! TIVE OITO! Palíndromos.

Arrozinho, futebolzinho, cervejinha, vinhozinho. Ô mania besta de diminutivo! Daí o nosso senadozinho, empreguinho, caminhadinha, sexozinho...

É FODA! PAPADO: FÉ. Palíndromos.

Bem-vinda Honduras/ Ao rol das Ditaduras./ Tão original, tão fascista:/ Já prendeu um desenhista.