sexta-feira, julho 30, 2010

Mayor me

E aqui estamos nós em mais um ano eleitoral. Apesar da disputa por dois cargos executivos, essa eleição será majoritariamente legislativa: serão dois senadores e deputados estaduais e federais, que lutarão pelo privilégio de lubrificar a máquina estatal com nosso sangue. Mas alguém já disse que na política, deve-se pensar globalmente mas agir na sua aldeia, que no fim das contas, é onde você vai caçar votos e o povão vai lhe avaliar. Não tenho nenhum megaprojeto mirabolante, mas tenho uma boa proposta para quando a grande insensatez reinar e vocês me fizerem prefeito de Fortaleza, em 2012. Vamos lá, tudo coisa fina.

Promessa:
Baixar em pelo menos 5° a temperatura média da cidade.

A Fortaleza de outrora era coalhada de lagoas e ruas sem asfalto. E sem calçamento também, era tudo um areal sem fim. As serestas e afins eram iluminadas à base de lampiões e pelo clarão da lua cheia, que refletido na areia branca, deveria transformar tudo num quadro do Chagall. Pois bem, não estou implicitamente sugerindo o despejo de toneladas de areia nas ruas - o que seria deveras engraçado - mas sim, a substituição do asfalto das ruas por concreto.

Cerca de 25% da área de Fortaleza, senão mais, é coberta de piche. As ruas e avenidas ocupam uma área significativa, portanto, e toda ela escura. O sol esquenta essas verdadeiras frigideiras e mesmo durante a noite, o asfalto continua quente e irradiando calor. Faça um teste: toque o asfalto lá pelas oito da noite. Pode notar que ele ainda está morno e bem acima da temperatura ambiente. A troca do revestimento por concreto faria com que a luz do sol fosse refletida com mais eficiência, e a absorção de calor seria reduzida.

Além disso, o concreto é de manutanção mais simples e de duração mais elevada. Atualmente, para se fazer a manutenção do asfalto, simplesmente fazem um recapeamento que acrescenta camadas de sobreposição, fazendo com que às vezes, o nível da pista se iguale ao da calçada. Com o concreto, a manutenção e as intervenções seriam mais racionais e lógicas.

Com relação às lagoas, não há muito o que se possa fazer. A quase totalidade delas foi aterrada para construções ou assoreada por detritos. Para minimizar o atual problema, a criação de praças arborizadas com fontes e chafarizes deve resolver. Como prefeito despótico e tirano, implantarei um projeto de desapropriação voluntária. A prefeitura vai comprar seu belo terreno estocado pra especulação por um preço justo. Caso haja entraves, faremos uma devassa na sua vida fiscal que faria a Derrama mineira uma inocente gincana de arrecadação de fundos dos escoteiros. Tô avisando.

A idéia é ter uma praça limpa e segura à distância de não mais de 400m uma da outra. Nada inexequível. Basta o prefeito dar uns gritos e umas chineladas na mesa. Quero ver quem se oporia ao projeto quando os marqueteiros exibirem criancinhas felizes brincando na praça e guardas municipais nos quatro cantos do entorno. Sem falar numa imagem minha discursando, enrolado na bandeira. Não prevejo resistência.

E a terceira medida seria a arborização intensa da cidade. Daríamos preferência a espécies ornamentais e de grande copa. Essas árvores seriam plantadas ao longo das calçadas e vias públicas. O condomínio que voltasse seu jardim para a cidade, abrindo espaços, seria recompensado com menos taxas de IPTU, por exemplo. Concursos anuais escolheriam o jardim mais bonito e tal.

Essas medidas certamente tornariam a vida mais agradável, e a temperatura mais amena.

Outras medidas para baixar a temperatura da cidade seriam mais controversas, e pra essas não garanto execução. Ou sei lá, talvez sim. De alcaide posso me tornar uma espécie de mestre Jedi sem oposição, com poderes ilimitados - basta usar a Força com sabedoria. Alguém falou em mensalinho?

As outras medidas seriam: abrir mais ruas perpendiculares ao mar.

Fortaleza tem pouquíssimo de sua orla aberta e com acesso ao público. A maioria dos casos onde esse acesso é impedido é formado por pura e simples apropriação irregular. Nos outros casos, a população é barrada porque os terrenos à beira mar são de propriedade da União ou cercados por ruas e viadutos.

Fortaleza é uma cidade velha, e o acesso ao mar não era valorizado antigamente como é hoje. Vejam que à beira-mar ficava o Forte para defesa da cidade. Só um miserável faminto e sem perspectiva de vida construiria seu barraco na linha de tiro dos canhões. Hoje a situação é diferente, mas urbanisticamente e historicamente, a cidade "voltou as costas" ao litoral. Pois rasguemos mais ruas e deixemos o vento fluir!

E a medida mais ousada e cara -  para baixar a temperatura seria cobrir as ruas com uma estrutura semelhante à cobertura de estádios de futebol.

Ao longo das ruas, pilares imensos e delgados fechariam trechos de poucos quateirões. A ventilação circularia à vontade, mas a luz do sol seria filtrada como numa imensa tenda branca, suponho. A questão da tecnologia envolvida eu não posso prever qual seria, mas já existem ruas climatizadas dessa forma em algumas cidades do mundo. Berlim, por exemplo. E na Arábia Saudita, os caravançarás para os peregrinos também são basicamente, tendas gigantes.

A combinação de fontes de água, árvores e sombra à vontade certamente deixaria a cidade "caminhável". Eu vislumbro Fortaleza inteira com o clima agradável das cinco da tarde, quando é possível caminhar até a padaria sem empapar as cuecas de puro suor. Atualmente, a cidade é hostil e belicosa entre as dez da manhã e quatro da tarde, por causa do sol. Ou alguém acha divertido ir pro trabalho a pé a chegar ao escritório precisando de outro banho e novas roupas? Eu não.

Ah, votem em mim, senão...

Olhaí, falo sério com relação ao reflorestamento na marra da cidade. Essa é provavelmente a 13º muda que planto por aqui. Algumas morreram - e serão repostas, mas pelo menos seis delas estão frondosas e viçosas. Plante a sua também e ganhe pontos no Apocalipse.

segunda-feira, julho 26, 2010

Pelúcia

Fui chamado pra rascunhar quatro bonequinhos de pelúcia. A idéia era oferecer os mascotinhos como brindes aos clientes da empresa. Os bichos foram escolhidos de acordo com um índice de bochechudismo e fofurice: uma esquila, um pinguin, uma borboleta e um jacaré. Desses, apenas a esquila e o pinguin teriam produção imediata, isto é, seriam confeccionados ainda esse ano.

Porém, ó porém, a coisa foi cancelada. Apesar de terem pago pelos rascunhos, eu queria mesmo era ver os bichos prontos. Até pedi alguns pra mim. Bom, paciência. E aqui estão os dois primeiros.

quinta-feira, julho 15, 2010

Só pra te dar um TOC...

terça-feira, julho 13, 2010

Rhett

O Flávio Lamenza do http://www.chongas.com.br tem um quadro engraçadíssimo: as famosas cantadas toscas do Rhett Buttler em cima da Scarlet. A piada é um sucesso e roda a Internet. Bom, bolei a minha também, olha só:

 

:

sábado, julho 10, 2010

LC

Abriram uma Livraria Cultura aqui em Fortaleza, finalmente. O ambiente é fino e refinado e tal, mas eu nao me encomodaria se ao invés do ar-con e dos carpetes, a loja fosse toda na base do chao de cimento e paredes de taipa - contanto, é claro, que os mesmos livros fossem vendidos pela metade do preço. Tudo é muito caro, muito caro. Ai ai.

Mas enquanto a Grande Revoluçao Burguesa nao vem, sigo no meu papel de otário consciente. Olha só o que arrastei de lá:

quinta-feira, julho 08, 2010

"Stop crying your heart out..."

Como disse alguém no Twitter, não chorem por causa de 23 milionários.


Ou esse "luto" seria na verdade vergonha?