domingo, janeiro 25, 2015

Marte atraca!

The Martian
Andy Weir

First book I've ever read in english, btw.

Mark Watney 'e o astronauta que acidentalmente, foi abandonado em Marte numa das ja corriqueiras missoes ao nosso planeta vizinho. A partir dai, vemos uma luta pela sobrevivencia digna de Bear Grylls, Tom Hanks de Cast Away e 'e claro, Angus MacGyver. Personagem, alias, citado varias vezes pelo autor em entrevistas como inspiracao tecnica, nerdistica e motivacional para o livro.

A historia praticamente poderia ser um documentario romanceado. Impecavel do ponto de vista tecnico, as descricoes dos veiculos e procedimentos numa viagem espacial sao acurados e precisos. Nao so isso, mas detalhes como a geo(what?)logia de Marte, suas caracteristicas topograficas, relevo, atmosfera... bem, esta tudo la. Nesse sentido, o livro 'e um produto da nossa epoca, pois de fato, 'e possivel acessar fotografias minunciosas de Marte num clique. Nao chega a ser uma surpresa como foi a visao das paisagens da Lua no filme 2001 - quando sequer havia mapas precisos das crateras em 1967 -, mas mostra uma bem documentada imersao do autor.

Essas sao as boas novas. O que nao gostei foi bem pouco. O que nao deve tirar o sono de ninguem.

Primeira coisa que achei estranha foi a redundancia de um cliche. Todos nos ja vimos a cena em filmes-catastrofes (Aeroporto, Apollo 13, Deep Impact, Transformers I, a lista 'e longa). A situacao parece sem esperancas, todo mundo na sala de controle esgotou as ideias quando de subito, um subalterno e obscuro funcionario de penultimo escalao chega com a solucao "magica" anotada num guardanapo. A principio ceticos, os genios que sao pagos para bolar exatamente essas solucoes rapidamente adotam a ideia do garoto e ele salva o dia. Isso acontece duas vezes no livro. Parece sinceramente que o autor esqueceu que havia proposto essa saida e a colocou de novo.

Segunda coisa que achei estranha foi a falta de mencao as empresas espaciais privadas. O livro se passa nos dias de hoje ou num futuro proximo. Tanto que ja houve pelo menos tres pousos em Marte - o heroi Watney 'e a 70a pessoa a pisar la. Assim, quando falei que o livro seria um produto da nossa epoca, nao 'e bem o que ocorre no computo geral. Atualmente, existem ao menos tres empresas privadas que em menos de 10 anos, ja conseguiram mais que as NASAs da vida na mesma idade. Seria de se especular que numa situacao assim, as empresas (muitissimo mais evoluidas que hoje) poderiam ajudar no resgate ao astronauta, mas so as agencias espacias oficiais se metem nisso. Muito estranho, 'e como um livro definitivo sobre dinossauros ignorar que os mamiferos ja davam as caras no Jurassico.

No mais, o livro foi importante pra mim pois, como supracitado, foi meu primeiro livro em ingles, mas tambem, porque... eu sou Mark Watney. Estou abandonado num planeta frio e distante, tendo que me virar com pouquissimos recursos, e tudo o que eu quero 'e voltar pra casa. Mentira, to gostando de Toronto. Mas 'e so uma analogia, nao tem que ser perfeita, eh?

Recomendo muito. Mais ainda que os direitos sobre a obra foram comprados por Hollywood, e se fizerem um filme, tem tudo pra ser uma grande obra. Se o roteiro for tao primoroso quanto o livro em questoes tecnicas, acho que a producao deve limitar ao maximo o CGI e colocar os atores pra trabalhar no Atacama - onde alias a NASA testa seus rovers. Seria uma prova de fidedignidade ao ambiente inospito de Marte em si, e ao cinema de raiz que tanto a  gente gosta. Mal posso esperar, estarei la na premiere.