quinta-feira, abril 16, 2015

Danny Collins, um relato

Nelson, resolvi fazer um relato em formato de carta, pra ficar fiel ao espirito do filme. Se estiver muito longo ou chato corta ai, please.

--------------------------------------------------------------------------------

Toronto, 17abril2015

Nelson, amigos e ouvintes do Frequencia Beatles da Universitaria FM.

Quando se é velho o bastante, decisões e acontecimentos que a gente enfrenta passam a ter um imenso efeito acumulativo. Por exemplo: estudar ou não num tal colégio determinou toda uma sequência de fatores que culmina no que você é hoje. Ter escolhido uma outra escola geraria uma cadeia de eventos diferentes, que criaria outras oportunidades, amigos, experiências e que em suma, moldariam um outro você... que nunca existiu.

Pois o que aconteceria se tivéssemos aceito aquele emprego, se aquela menina topasse se mudar contigo pra Porto Alegre, se aquela viagem pra Europa não tivesse sido cancelada... e se aquela carta que o John Lennon escrevera pra ti, tivesse chegado?

Essa é premissa do sensacional filme Danny Collins, estrelado pelo Al Pacino, em cartaz nos cinemas daqui. O filme é inspirado numa história real. Em 1971, o jovem cantor britânico Steve Tilston dera uma entrevista para uma obscura revista underground chamada ZigZag. Tratava-se da promoção do seu primeiro disco, e o reporter perguntou se a eventual fama e fortuna não mudaria a capacidade dele de criar músicas contundentes. Tilston disse que com certeza mudaria. Acontece que John Lennon, ao contrário de todas as probabilidades, leu a entrevista. Ele mesmo já havia passado por tudo, da pobreza a riqueza, e escreveu uma carta/bilhete onde dizia que não era bem assim, o dinheiro te deixa menos preocupado com coisas como comida e aluguel, mas os sentimentos que te inspiram são como os de qualquer outro ser humano, escreveu. Ao final, ele coloca seu proprio número de telefone (!), e convida o cara pra continuar o papo.

A carta nunca chegou. Provavelmente foi extraviada. Alguem sacou o potencial de um manuscrito do John Lennon e sumiu com ela. Apenas em 2005 Tilston soube da sua existência, quando um colecionador ligou perguntando se ele poderia atestar a veracidade e autenticidade da carta. Que carta? - deve ter pensado um estupefato Steve Tilston.

O filme segue mais ou menos a mesma história. Al Pacino 'e Danny Collins, um velho rock star de sucesso mas um tanto cafona. Na sua festa de aniversario, seu empresario, interpretado pelo Christopher Plummer, lhe entrega a tal carta perdida havia quarenta anos. Como qualquer um de nos faria, Danny Collins entra numa crise existencial, ao perceber que toda sua vida poderia ter sido diferente se ele fosse amigo... do John Lennon! A partir disso, Collins parte numa jornada de redescoberta, hilaria e tocante ao mesmo tempo. Como nao poderia deixar de ser, o filme 'e entrecortado com obras-primas do Lennon, entre elas, Instant Karma, Nobody Told Me e Working Class Hero - que se encaixam sempre com precisao no momento certo da vida do cantor Collins. A interpretacao do Al Pacino 'e elogiada como a melhor em anos, e num certo momento, ele nos lembra como seria Scarface se alem do amor pelas metralhadoras, gostasse de tocar piano. Outra coisa impagavel 'e ouvir o personagem do Christopher Plummer chamar o Al Pacino de "Kid". Quanta moral tem um sujeito pra tratar um dos maiores atores do seculo XX como um menino? Outro dos maiores atores do cinema.

Curioso que hoje em dia, nessa era tecnologica, uma historia dessas teria pouca chance de ocorrer. Basta a curtida na tua pagina do Facebook ou um Retweet, para que em uma hora, o mundo todo saiba que o Paul MacCartney te segue, ja penssou? Seria coisa de colocar no Curriculo.

Pra terminar, quero ainda divagar um pouco sobre essa Teoria das Imponderabilidades: que consequencias teria pra vida de um sujeito ser amigo do John Lennon? E vice-versa: o que essa amizade traria pra vida do John? Pode ser, digamos, que no gelido dezembro de 1980, Lennon nao estivesse em Nova York, mas sim, em Londres. E junto da Yoko e do Sean, ele poderia estar compondo novas musicas pro proximo LP na casa do seu grande chapa e parceiro... Steve Tilston.

Hemeterio

------------------------------------------------------------------------------------------

Aqui a reportagem sobre a Carta Perdida e o filme:
http://www.historyvshollywood.com/reelfaces/danny-collins/

Aqui o trailer do filme:
https://m.youtube.com/watch?v=AndERTFMYd4

E aqui a carta original, a transcricao e minha traducao:


"Being rich doesn't change your experience in the way you think.

The only difference, basically, is that you don't have you worry about money - food - roof etc. But all other experiences - emotions - relationships - are the same as anybodies.

"I know, I have been rich and poor and so has Yoko, (rich - poor - rich). So, whadya think of that. Love John and Yoko."
-
Ser rico nao afeta sua experiencia de vida, do jeito que voce acha.

A unica diferenca, basicamente, 'e que voce nao tem que se preocupar com dinheiro-comida-moradia, etc. Mas todas as outras experiencias-emocoes-relacionamentos, sao os mesmos pra todo mundo.

Eu sei, eu tenho sido rico e pobre, assim como Yoko (rica-pobre-rica). Entao, isso faz voce pensar em todas essas coisas. Amor, John e Yoko.